Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PANDEMIA

Brasil ultrapassa os mil mortos em um só dia por Covid-19

Foram 1.179 óbitos confirmados pela doença de ontem para hoje, totalizando 17.971 mortes
19/05/2020 19:00 - Daiany Albuquerque


 

Pela primeira vez durante a pandemia causada pelo novo coronavírus o Brasil ultrapassou a triste marca dos mil mortos em 24 horas devido a doença. De segunda-feira (18) para esta terça-feira (19) foram 1.179 mortes pela Covid-19 no país de acordo com dados divulgados pelo Ministério da Saúde.

Com a contabilização de mais essas mortes, o Brasil já soma 17.971 óbitos provocados pelo novo coronavírus. É o sexto no mundo com mais mortes por conta da doença, ficando atrás apenas dos Estados Unidos (91.570), Reino Unido (35.422), Itália (32.169), França (28.025) e Espanha (27.778), conforme levantamento da Universidade Johns Hopkins. 

Esse número bateu o recorde do país em 24 horas e chegou a ser o quarto maior no mundo. Já que, segundo a Universidade Johns Hopkins, apenas quatro outros países haviam passado de mil mortos neste intervalo de tempo – Estados Unidos (2.612), França (1.417), China (1.290) e Rússia (1.172).

A pasta salienta que apesar do registro de 1.179 óbitos, isso não significam que todas estas pessoas tenham morrido de ontem para hoje, mas sim que as mortes foram oficialmente contabilizadas neste período, já que o exame demora um tempo para sair. 

O país também bateu o recorde de casos notificados em um dia. Foram 17.408 casos confirmados entre ontem e hoje, sendo que 146.863 seguem em acompanhamento e, segundo o Ministério da Saúde, cerca de 106.794 se recuperaram da doença. Ao todo o país atingiu 271.628 diagnósticos.

Ainda segundo com dados da Universidade Johns Hopkins, o Brasil é o terceiro país no mundo em total de casos. Os Estados Unidos são o primeiro colocado, com somam 1,5 milhão de episódios, seguidos da Rússia com quase 300 mil. O país está à frente Reino Unido, que tem 250 mil casos.

 

Felpuda


Como era de se esperar, as pesquisas mexeram nos ânimos de candidatos, principalmente daqueles que apareceram com índices pífios.

E assim, muitos deles certamente darão novo rumo às suas campanhas eleitorais.

A maioria, é claro, tenta mostrar otimismo, e o que mais se ouve por aí é que “agora o momento será de virada”.

Como disse atento e irônico observador: “Tem gente por aí que poderá virar, sim. Mas virar gozação!”. Ui...