Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

518 MORADIAS

Caixa pede reintegração de casas populares invadidas

Do total de pedidos, 68 são em Campo Grande e os outros 450 na cidade de Dourados
19/08/2015 00:00 - DA REDAÇÃO


 

De janeiro até agora, a Caixa Econômica Federal (CEF), instituição financeira que detém os financiamentos do programa Minha Casa Minha Vida, impetrou 518 ações de reintegração de posse de imóveis entregues em Campo Grande e em Dourados. Os locais foram invadidos por terceiros, ou seja, pessoas que não foram beneficiadas com  a moradia, mas que se aproveitaram do espaço vazio pata se abrigarem.

Conforme a CEF, atualmente, são 68 ações tramitando na Justiça Federal referentes a casas de residenciais populares em Campo Grande e a maioria - 450 - dizem respeito a unidades habitacionais entregues em Dourados. Todas invadidas. 

Na manhã de segunda-feira, 17, 21 moradias do Residencial José Macksoud, no bairro Moreninhas, foram retomadas pela Caixa com apoio de oficiais de justiça. Uma das famílias retiradas de lá é a do eletricista José Antônio Chaves de Carvalho, que morou lá por quatro meses com a esposa, auxiliar de limpeza, Katiúscia Barbosa do Nascimento, 32 e dois filhos de 16 e oito anos.

José contou à reportagem que ele e a esposa ficaram desempregados no mesmo mês. Moravam de aluguel há um ano. “O aluguel ia vencer, não tínhamos como pagar e no desespero entramos numa casa no (residencial) José Maksoud”, conta

(*) A reportagem, de Lucas Junot, está na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

 

Felpuda


Depois de se “leiloar” durante meses, e afirmando que estava até escolhendo o município para se candidatar a prefeito, ex-cabeça coroada não só não recebeu acenos amistosos, como também não encontrou portas abertas com tapete vermelho a esperá-lo. 

Assim, deverá pendurar as chuteiras e fazer como cardume em seu pesqueiro: nada, nada...