Clique aqui e veja as últimas notícias!

PROSSEGUIR

Campo Grande sai do risco extremo e dois municípios entram na bandeira preta

Secretário diz que Capital adotou medidas que melhoraram indicadores de risco
14/08/2020 11:43 - Glaucea Vaccari


Campo Grande, Aquidauana e Miranda, saíram do grau de risco extremo devido a Covid-19, enquanto São Gabriel do Oeste e Sidrolândia entraram na bandeira preta.

Relatório situacional do Programa de Saúde e Segurança da Economia (Prosseguir), com o grau de risco dos 79 municípios de Mato Grosso do Sul foi atualizado nesta sexta-feira (14).

De acordo com o secretário de Governo, Eduardo Riedel, do último relatório para hoje, 41 municípios mantiveram o grau de risco, 31 melhoraram e sete tiveram piora na situação.

“Se municípios melhoraram, é porque enxergaram no Prosseguir alguns indicadores que deveriam ser trabalhados e trabalharam e isso gerou resultado, que era o nosso objetivo. A partir de uma metodologia concreta poder dar resultado em relação a essa pandemia”, disse Riedel.

É a primeira vez que Campo Grande sai da bandeira preta desde o lançamento do Prosseguir. No entanto, a Capital está com risco alto, na bandeira vermelha.

Mesma situação estão Aquidauana e Miranda, que também estavam na bandeira preta.  

Riedel deu o exemplo de Campo Grande como um dos municípios que seguiram orientações do programa.  

“Campo Grande melhorou a busca de contatos e a rastreabilidade, que o próprio estado também é parceiro do município na realização, tem melhorado, os estoques de EPIs [equipamentos de proteção individual] estão satisfatórios e condizentes com aquilo preconizado pela área de saúde, só como alguns exemplos”, pontuou.

O Prosseguir classifica os municípios em faixas de cores de acordo com o grau de risco, que varia de baixo a extremo, e apresenta recomendações de medidas a serem tomadas no combate a disseminação e aos impactos do coronavírus.

Riedel reforçou que o programa apenas dá um indicativo de medidas e que as prefeituras devem estar atentas aos indicadores para que possam agir em cima do que precisa ser melhorado, sendo a autonomia de decisão de cada município.  

“Esse programa não é contra ninguém, não é contra nenhum município. Ele é contra o coronavírus e é contra a crise econômica. Ele é a favor do Mato Grosso do Sul, a favor do bom desempenho que estamos tendo no combate ao coronavírus e no bom desempenho que estamos conseguindo em relação as nossas atividades”, afirmou.