Clique aqui e veja as últimas notícias!

MOBILIDADE URBANA

Rua Rui Barbosa também terá estações de pré-embarque motivo de “discórdia”

Obra será licitada em outubro e deve custar em torno de R$ 40 milhões em 18 meses de construção
05/09/2020 10:00 - Daiany Albuquerque


Barbosa terá o mesmo formato do realizado na Avenida Bandeirantes e na Rua Brilhante, com o ponto de ônibus ocupando uma das pistas da via. 

A previsão é de que a licitação seja lançada no próximo mês.

De acordo com o titular da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Sisep), Rudi Fiorese, a previsão é de que sejam investidos em torno de R$ 40 milhões no corredor e de que as obras durem, pelo menos, 18 meses.

“Ali será um pouco diferente da Brilhante e da Bandeirantes, por estar na região central, então teremos uma iluminação diferente, o mobiliário público também será trocado e haverá requalificação das calçadas. Mas o ponto será o mesmo feito nas duas vias”, contou Fiorese.

A diferença ocorre porque a via está dentro do projeto do Reviva Centro, que também deve lançar edital de licitação para a revitalização das vias localizadas no quadrilátero compreendido entre as avenidas Mato Grosso, Calógeras, Fernando Corrêa da Costa e Rua Padre João Crippa. A concorrência será publicada com a qualificação da Rui Barbosa, em outubro.

A obra da Rui Barbosa faz parte do Corredor sul do transporte coletivo de Campo Grande, onde além das intervenções na via, a Avenida Costa e Silva também terá mudanças.

O projeto completo prevê obras de drenagem, requalificação das vias, recapeamento e as estações de embarque e desembarque de passageiros.

Além desse corredor, também será requalificado o Corredor norte, onde estão previstas obras nas avenidas Cônsul Assaf Trad, Coronel Antonino e Mato Grosso e nas ruas Alegrete e 25 de Dezembro, fazendo a ligação dos terminais General Osório e Nova Bahia.

Os recursos para esses projetos vêm do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Mobilidade Urbana, por meio de empréstimo no valor de R$ 110 milhões, com financiamento de mais R$ 91.334.232,00, com contrapartida de R$ 4,8 milhões da prefeitura, totalizando R$ 96,1 milhões, do Ministério do Desenvolvimento Regional.