Cidades

Cidades

Capital registra 10,4 casos de dengue por hora

Capital registra 10,4 casos de dengue por hora

Redação

13/02/2010 - 07h50
Continue lendo...

Desde o início do ano, Campo Grande registrou méd ia de 10,4 casos de dengue por hora. Até agora, são 10.559 notificações em 42 dias — o ú ltimo relatório foi divulgado na quinta-feira. A incidência continua aumentando e a preocupação é com o feriado de carnaval, quando muitas pessoas aproveitam para viajar, os imóveis ficam fechados e há riscos de formação de criadouros do mosquito Aedes aeg ypti. Até ontem, ao menos dez pessoas estavam internadas em hospitais públicos e particulares de Campo Grande com sintomas de dengue hemorrágica. Além dos casos que necessitam de maior acompanhamento médico, os pronto-socorros e postos de saúde enfrentam superlotação de pacientes com a forma clássica da doença. Na Clínica Campo Grande, na quinta-feira, havia seis pacientes com dengue hemorrágica e o prontosocorro estava superlotado. Segundo o médico José Ivan Aguiar, “enquanto o tempo continuar assim, com chuva e calor forte, os casos vão continuar aparecendo”. Na Santa Casa, ontem, eram três pessoas internadas, com quadro estável. No Hospital Regional Rosa Pedrossian, três pessoas estavam com sintomas, sendo uma criança e um adulto com dengue clássica e um adulto com hemorrágica. No Hospital Dia do Hospita l Un iversitário, que nesta semana abriu para internações de pacientes com dengue, sete pessoas eram monitoradas. Já no HU, mais duas pessoas ocupavam leitos, sendo um na enfermaria e um no setor de Pronto Atendimento Médico (PAM). Desde o início da epidemia de dengue na Capital, 28 pessoas foram internadas no Hospital Miguel Couto com dengue; deste total, 11 casos eram do tipo hemorrágica. Os sintomas de dengue são dores no corpo, na cabeça, no fundo dos olhos, nas juntas, vermelhidão pelo corpo e fraqueza. Para evitar que mais pessoas fiquem doentes, as pessoas devem eliminar os locais com água parada — propícios para reprodução do mosquito.

LOTERIA

Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio acumulado em R$ 53 milhões

Sorteio será realizado, a partir das 20h, horário de Brasília

20/07/2024 14h00

Foto: Arquivo

Continue Lendo...

As seis dezenas do concurso 2.751 da Mega-Sena serão sorteadas, a partir das 20h (horário de Brasília), no Espaço da Sorte, localizado na Avenida Paulista, nº 750, em São Paulo.

O sorteio terá transmissão ao vivo pelo canal da Caixa no YouTube e no Facebook das Loterias Caixa. O prêmio está estimado em R$ 53 milhões.

As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília) nas casas lotéricas credenciadas pela Caixa, em todo o país ou pela internet.

O jogo simples, com seis números marcados, custa R$ 5.

*Com informações da Agência Brasil

INFLUENZA

Dois óbitos por gripe são confirmados nesta semana em MS

Boletim epidemiológico atualizado informa que a uma das vítimas é um idoso de Três Lagoas e a outra não identificada; no ano, o estado acumula 67 óbitos

20/07/2024 13h45

Mato Grosso do Sul chega aos 67 mortos por gripe em 2024

Mato Grosso do Sul chega aos 67 mortos por gripe em 2024 Bruno Rezende / Portal MS

Continue Lendo...

Boletim epidemiológico atualizado nesta sexta-feira (19) divulgou que mais dois óbitos foram confirmados em Mato Grosso do Sul por Influenza. Em 2024, o estado já acumula 67 mortes por gripe.

Segundo o informativo, apenas uma das mortes foi identificada, sendo ela um idoso de 87 anos em Três Lagoas, vítima de H3N2, tendo comorbidades como doença cardiovascular crônica, imunodeficiência / imunodepressão. Das 67 mortes gerais pela doença no estado, 13 foram por H1N1, 46 por H3N2 e 8 não foram subtipados. 

As maiores vítimas seguem sendo do sexo feminino, responsáveis por 56,7% dos óbitos, ou seja, 38, enquanto 29 do sexo masculino morreram pela doença, cerca de 43,3%. Acerca da faixa etária, a população com mais de 80 anos representa 36,4% (24) das mortes, a maior entre as idades, seguido por 70 a 79 anos, com 12 mortes, e 60 a 69 anos, com 11.

Os casos confirmados e notificados não registraram nem aumento e nem queda, em comparação ao último boletim epidemiológico. Ou seja, os casos estão estagnados em 559 confirmados (127 H1N1, 336 H3N2 e 98 não subtipado), além de 4.570 notificações. Dentre as cidades com a maior incidência de hospitalizados pela doença estão Campo Grande (com 262 confirmações), Dourados (com 39) e Ponta Porã (com 32).

Além disso, as crianças de 1 a 9 anos são as mais afetadas, representando 20,6% das internações, ou seja, 115 dos 559 hospitalizados. São seguidos de perto pelos idosos com mais de 80 anos (15,9% - 89 hospitalizados) e aqueles de 60 a 69 anos (13,2% - 74 hospitalizados). O sexo feminino também é o mais atingido, com 54,6% das internações.

Sobre a imunização, as cidades entre os destaques positivos são Vicentina, com 74% da cobertura vacinal, Novo Horizonte do Sul, com 69,6%, e Jateí, com 67,6%. Do outro lado, Japorã, com 26,1%, Corguinho, com 24,4%, e Aral Moreira, com apenas 21%, são os destaques negativos na cobertura vacinal.

“A vacinação contra a influenza é uma das medidas de prevenção mais eficazes para proteger contra essa doença e, principalmente, contra a evolução para complicações e óbitos. A vacinação também contribui para a redução da circulação viral na população, protegendo especialmente os indivíduos que apresentam fatores ou condições de risco”, diz o boletim divulgado pela Ses.

Alta na mortalidade infantil pela doença

A mortalidade por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) em crianças pequenas ainda está alta devido à grande circulação do vírus sincicial respiratório (VSR). A análise é do boletim InfoGripe, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), divulgado no dia 11 de maio.

O documento destaca que a mortalidade da SRAG nas últimas oito semanas foi semelhante na faixa infantil de zero a dois anos e em idosos. No entanto, na população idosa, se destacam as mortes por SRAG associadas ao vírus da gripe, à influenza A e à covid-19. 

Assine o Correio do Estado

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).