Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PRAZO

Capital terá 31,5 km de asfalto novo ou renovado até junho

Atualmente são quatro frentes de recapeamento e de pavimentação nova na cidade
22/02/2020 10:00 - Daiany Albuquerque


 

As quatro frentes de trabalho de recapeamento e de asfalto novo em andamento em Campo Grande hoje devem ser concluídas ainda neste primeiro semestre, com isso, a Capital passa a ter mais 31,5 quilômetros de pavimentação de qualidade.

Uma das obras em andamento é de drenagem, recapeamento e criação do corredor de ônibus na Avenida Bandeirantes, onde são 3.748 metros de drenagem, 927 metros quadrados de remendo profundo (onde foi preciso refazer a base do asfalto antigo), ampliação de 325 metros da pista, implantação de 1.750 metros de tubulação na via, 1.283 metros de conexões nos poços para ampliar a capacidade de captação das bocas de lobo, mais 710 metros de rede para conexão com a rede da Avenida Manoel Costa e Silva, além dos 3,8 km de recapeamento.

De acordo com o titular da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos, Rudi Fiorese, a obra de recapeamento está 70% concluída e a de drenagem ainda falta aproximadamente 20% para a conclusão. A previsão é de que até maio a via esteja pronta.  

Em visita a obra, a equipe de reportagem do Correio do Estado pode perceber que as equipes da Engepar - empresa encarregada - estão concentradas em terminar o piso dos pontos de ônibus na via, que tiveram a base reforçada.  

Serão investidos na avenida, entre drenagem, recapeamento, sinalização e a implantação de sete estações de embarque no corredor do transporte coletivo, R$ 6.462.933,73 (recursos do PAC Mobilidade) e R$ 2.297.378,94 (contrapartida do Governo do Estado).  

Outra frente em andamento fica na região norte de Campo Grande, de onde vem os maiores trechos de asfalto novo. São 11 quilômetros na região do Jardim Anache e mais 14 quilômetros no Complexo José Tavares. Quando essas obras estiverem prontas, os moradores da região norte terão um novo acesso ao Centro da cidade.  

As obras na região, segundo o secretário, estão bem adiantadas, faltando apenas cerca de 15% para serem concluídas. Há uma semana - no dia 19 de fevereiro - os funcionários da empresa Equipe Engenharia, que cuida da pavimentação da região, estavam na rua Francisco Pereira Coutinho. No local, conforme o encarregado de terraplanagem José Domingos Filho, 54 anos, a previsão é de que até março a drenagem, pavimentação e a rotatória fiquem prontas na via.

A quarta frente está na Rua Bahia, onde serão recapeados 1,7 quilômetro, entre as avenidas Afonso Pena e Coronel Antonino. Na via será implantado 1.139 metros de drenagem, sendo que a maior intervenção está programada para o trecho entre as ruas Eduardo Santos Pereira e Antonio Maria Coelho, onde estão previstos 1,20 metro de tubulação.  

A obra vai custar R$ 4.392.305, redução de 10,6% em relação aos R$ 522 mil de referência. A previsão é de que esta intervenção fique pronta até maio deste ano.  

OUTRAS OBRAS

A Prefeitura de Campo Grande ainda tem em andamento a obra de requalificação da Avenida Ernesto Geisel, onde está pevista a recuperação das margens do Rio Anhanduí, a criação de uma ciclovia e também o recapeamento de um trecho da via, que foi afetado por conta dos constantes desmoronamentos.

A obra total está orçada em R$ 48.497.999,21, mas até agora foram investidos total de R$ 29.416.122,52 nos três lotes. A obra está em ritmo lento desde setembro do ano passado por conta de atraso do repasse feito pelo Governo Federal. Segundo Fiorese, os atrasos eram referentes a três medições do ano passado, nos meses de julho, agosto e setembro.

Em novembro a União repassou R$ 700 mil e a primeira fase da obra, tocada pela empresa Gimma Engenharia (entre a Rua Santa Adélia até a Abolição), foi retomada a passos lentos. Porém, no final do ano passado mais R$ 740 mil foram enviados e a previsão é de que os lotes dois e três, sob responsabilidade da empresa Dreno Construções (da Rua da Abolição até a do Aquário) retornem no próximo mês, mas ainda falta ser repassado as empreiteiras cerca de R$ 700 mil.

PRÓXIMAS

Para este ano, a Sisep já tem a previsão de fazer a drenagem e cerca de 20 quilômetros de asfalto no bairro Nova Campo Grande. A licitação está na fase final para publicação. As obras devem começar apenas no segundo semestre deste ano.

A etapa B do asfalto no bairro Nova Lima também tem previsão para ser iniciada no final deste primeiro semestre. Já foram executados 20 quilômetros de pavimentação no Nova Lima Etapa A (localizada no quadrilátero das avenidas Cônsul Assaf Trad/Marques de Herval/Zulmira Borba e Rua Gerônimo de Albuquerque), e serão feitos 2,2 quilômetros de drenagem, além da duplicação e recapeamento do último trecho da Avenida Zulmira Borba, trecho de um 1,1 quilômetro entre as ruas Jerônimo de Albuquerque e a Francisco Pereira Coutinho.  

A etapa B compreende o quadrilátero Jerônimo Albuquerque/Marques de Herval/ Francisco Coutinho e Zulmira Borba.

 

Felpuda


Nos bastidores, há quem garanta que a única salvação, de quem está com a corda no pescoço, é ele aceitar ser candidato a vice-prefeito em chapa de novato no partido. Vale dizer que isso nunca teria passado por sua cabeça, uma vez que foi eleito com, digamos, “caminhão de votos”. Se aceitar a imposição, pisaria na tábua de salvação; se recusar, poderá perder o mandato. Ah, o poder!