Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PANDEMIA

Com aumento de casos na Capital, MS passa dos 7,3 mil infectados

Mesmo com aumento, Dourados concentra maior número de infectados
27/06/2020 12:32 - Bruna Aquino


Com aumento de casos a cada dia, principalmente em Campo Grande, seguido de Dourados, cidade considerada epicentro da doença, Mato Grosso do Sul passou da marca dos 7,3 mil infectados pelo novo coronavírus neste sábado (27), segundo dados do boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES).

Isso porque dados do boletim apontam o avanço da doença em Campo Grande. Em 24 horas, a Capital abriu a maior diferença em relação a Dourados e no total de testes positivos, foram registrados 192 casos enquanto Dourados teve 62.

Campo Grande chegou perto de passar a cidade epicentro da doença — Dourados — em confirmações, como apontam dados dos últimos boletins epidemiológicos. Foram 1.051 novos positivos desde o último sábado em comparação a 1075 registrados no município de Dourados no mesmo período.

A 26ª semana epidemiológica foi considerada a pior no mês de julho com 2.317 casos, enquanto a semana anterior tinha 1.755 infectados em sete dias.

Para a secretária-adjunta da SES, Christine Maymone, a semana de fechamento do mês de junho é preocupante. “Aqui avaliamos que a 21ª primeira semana epidemiológica teve 350 casos e após cinco semanas, houve 2.317 casos, é um incremento extremamente preocupante”, disse.

Atualmente são 7.307 casos da doença, com 394 novos positivos nas últimas horas. Desses, 3.289 estão em isolamento domiciliar e 3.776 já estão recuperados. Mesmo com uma grande taxa de recuperados, 174 pessoas estão internadas em hospitais públicos e privados de Mato Grosso do Sul que já soma 71 óbitos.

MORTES

Infelizmente o Estado registra mais três óbitos nas últimas 24 horas. 

A 69ª vítima era um homem de 87 anos, natural de Ponta Porã. Segundo informações da Secretaria de Saúde, a vítima foi transferida de Ponta Porã a Campo Grande para ficar no hospital da Cassems. No dia 23 de junho, ele internou na UTI com quadro de tosse, febre, dor de garganta, dispneia e com o agravamento do quadro, morreu neste sábado.

A segunda vítima nas últimas horas, era um homem, de 67 anos, indígena, da aldeia Jaguapiru em Dourados, segunda vítima indígena em MS. Ele deu entrada no Hospital Evangélico, no dia 11 de junho, e sofria de hipertensão. Ele teve resultado positivo dia 16 de junho e com piora não resistiu e morreu na noite de ontem (26).

Mais uma vítima da pandemia, homem, de 69 anos, de Fátima do Sul, também morreu no Hospital Evangélico. Ela era portador de diabetes e Hipertensão Arterial Sistêmica. Testou positivo no dia 18, mas não resistiu e também faleceu ontem em Dourados.

 

Felpuda


Lideranças de alguns partidos estão fazendo esforço da-que-les para fechar chapa com o número exigido por lei de 30% do total de vagas para as mulheres. Uma dessas legendas, por exemplo, tenta mostrar a “felicidade” das suas pré-candidatas, mas teme o fracasso, tendo em vista que o “chefe maior” é aquele que já mandou mulheres calarem a boca e disse também que a importância da sua então esposa na campanha eleitoral era porque apenas “dormia com ele”. Ô louco!