Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

PANDEMIA

Casos começam a diminuir, mas Saúde já teme segunda onda da Covid-19 no Estado

Secretário afirmou que medidas de prevenção devem ser mantidas até sair a vacina
05/11/2020 15:34 - Glaucea Vaccari


Mato Grosso do Sul teve 177 novos casos e sete mortes confirmadas por Covid-19 nas últimas 24 horas, conforme boletim divulgado nesta quinta-feira (5) pela Secretaria Estadual de Saúde (SES).

Os casos tem apresentado tendência de decréscimo na curva, mas a situação preocupa a SES quanto a um novo aumento de casos, devido ao descuido da população com as medidas de prevenção.

Conforme o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, a maioria da população tem tido a falsa sensação de normalidade, mas que a situação não deve se normalizar, pelo menos até a chegada de uma vacina. 

“A doença não passou, está muito presente, e precisamos estar muito vigilantes porque a qualquer momento podemos, a exemplo de outros estados e países, ter uma segunda onda”, alertou.

Dessa forma, Resende pede que a população continue a usar máscaras e evite aglomerações, mantendo o distanciamento social, entre outras medidas.

Quanto as mortes, três vítimas eram de Campo Grande, e as demais de Coxim, Ponta Porã, Porto Murtinho e São Gabriel do Oeste.  

Elas tinhas idades entre 48 e 84 anos e apenas duas não tinham comorbidades e fatores de risco relatados.  

A taxa de letalidade permanece em 1,9% e a taxa de contágio também se mantém em 0,93%.

Neste mês, já foram registrados 37 mortes por Covid-19 em apenas cinco dias.  

Desde o início da pandemia são 1.622 mortes, sendo que os municípios mais afetados foram Campo Grande, com 693 óbito, Corumbá (162 ) e Dourados (111). "

Nossa média de óbitos está de quase 7 óbitos por dia", ressaltou Resende, acrescentando que é um número alto de vítimas.  

Quanto aos casos confirmados, são 83.616 casos, com 78.380 recuperados.  

Há ainda 232 pessoas internadas no Estado e 3.375 em isolamento domiciliar.

Taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) pelo Sistema Único de Saúde (SUS) é de 64% na macrorregião de Campo Grande, 55% em Dourados, 28% em três Lagoas e 52% em Corumbá.

 
 

Felpuda


Tropas de choque ligadas a alguns vereadores estão agitadas que só nas redes sociais na tentativa de desbancar a concorrência das “chefias” que querem porque querem. Querem a cadeira maior da Câmara Municipal de Campo Grande. A da presidência.

Segundo políticos mais antenados, trata-se do “segundo turno” das eleições do dia 15 de novembro, só que com apenas 29 eleitores.