Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

EDUCAÇÃO

Termina hoje prazo de coleta de dados do Censo da Educação Superior

A partir de segunda-feira o sistema estará aberto para ajuste de dados
05/06/2020 11:31 - Agência Brasil


Termina hoje (5) o prazo para a coleta de dados do Censo da Educação Superior (Censup) 2019. A declaração deve ser feita pelo Sistema Censup por todas as instituições brasileiras de ensino, públicas e privadas, que ofertam cursos de graduação e cursos sequencias de formação específica.

Durante o período de preenchimento do questionário, é possível fazer, a qualquer momento, alterações ou inclusões necessárias nos dados das respectivas instituições. A partir de segunda-feira (8), o sistema estará aberto novamente para verificação de consistência e ajuste dos dados declarados e para envio de justificativas.

Após as fases de conferência e validação dos dados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), o Censup, então, é finalizado, os dados são divulgados e a Sinopse Estatística é publicada. Depois disso não pode mais haver alteração nas informações, pois passam a ser estatísticas oficiais.

O Censo da Educação Superior reúne informações sobre as instituições, cursos e vagas oferecidas, matrículas, ingressantes e concluintes e informações sobre docentes nas diferentes formas de organização acadêmica e categoria administrativa. A participação das instituições de ensino no censo é requisito para adesão a programas do Ministério da Educação, como o Programa Universidade para Todos (Prouni), o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e as bolsas da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

O Censup ainda subsidia o planejamento e a avaliação de políticas públicas, além de contribuir no cálculo de indicadores de qualidade.

 

Felpuda


Apressadas que só, figurinhas tentaram se “apoderar” do protagonismo de decisão administrativa. Não ficaram sequer vermelhas quando se assanharam todas para dizer que tinham sido responsáveis pela assinatura de documento que, aliás, era uma medida estabelecida desde 2019. Quem viu o agito da dupla não pode deixar de se lembrar daquele pássaro da espécie Molothrus bonarienses, mais conhecido como chupim, mesmo. Afe!