Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MUDANÇA NO TEMPO

Chove na Capital quase um quarto do volume esperado para o mês

Os termômetros despencaram até os 18,5°C na cidade e devem cair mais
06/05/2020 12:00 - Ricardo Campos Jr


 

Campo Grande soma 21,4 milímetros de chuva desde a madrugada desta quarta-feira (6), o que corresponde a 22,15% de todo o volume esperado no mês inteiro. A informação é do Centro de Monitoramento do Tempo e Clima de Mato Grosso do Sul (Cemtec).

A mudança no tempo decorre de uma frente fria e deve continuar até o fim da semana. Os termômetros despencaram até os 18,5°C na Capital, subiram para 19,5° por volta das 10h, mas devem registrar valores ainda mais baixos.

“Essas temperaturas cairão mais ao longo do dia. A situação ainda está favorável, mas não por muito tempo”, disse ao Correio do Estado a coordenadora do Cemtec, Franciane Rodrigues.

Apesar de a chuva ter sido forte em alguns momentos, a Defesa Civil do município ainda não registrou situações críticas de alagamentos, desabrigados ou precisou atender qualquer tipo de emergência.

Para quinta-feira está prevista a entrada de uma massa polar sobre o Estado, o que deve derrubar ainda mais as temperaturas. A mínima deve chegar aos 7°C na região sul e em Campo Grande está estimada em 9°C, sem passar dos 22°C ao longo do dia.

ESTADO

Apesar da quantidade expressiva, Campo Grande não detém o recorde de chuva nesta quarta-feira. O topo do ranking está ocupado por Jardim, que teve 41,2 milímetros de precipitação. Aral Moreira aparece em segundo lugar com 36,2 milímetros. Bonito teve 25,2 milímetros e Amambai teve 24,8 milímetros.

Todos esses valores foram contabilizados às 8h no horário local pelo Cemtec.

 

Felpuda


Comentários maldosos nos meios políticos dão conta que duas figurinhas que se rebelaram contra os próprios colegas poderão ficar no sereno político e, de forma indireta, serem personagens das próprias manifestações.

Um deles defendeu a redução do número de vereadores, e o outro disse ter vergonha de exercer o cargo. Agora enfrentam altos e baixos na campanha eleitoral.