Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CLIMA

Alívio no calorão: chuva deve amenizar clima de deserto nesta semana no Estado

As pancadas de chuvas serão leves, mas devem diminuir temperaturas em todas as regiões de Mato Grosso do Sul
11/10/2020 14:51 - Gabrielle Tavares


De acordo com o Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima de Mato Grosso do Sul (Cemtec-MS), a expectativa para esta semana é de pancadas de chuvas em todas as regiões do Estado, com acúmulo de até 50 milímetros.

Como não serão volumosas, o Cemtec-MS reforçou que não deve ser o início da regularização das chuvas, e que há indícios de atraso do fenômeno climático no mês de outubro.

As temperaturas recordes registradas no Estado nos últimos dias, 44,6ºC em Água Clara e 41ºC em Campo Grande, devem ter uma leve queda nos próximos cinco dias.

Na segunda-feira (12), feriado de Nossa Senhora Aparecida, deve ter máxima de 36ºC e mínima de 23ºC na Capital. Na quinta-feira (15), os termômetros podem registrar a máxima de 28ºC e mínima de 21ºC em Campo Grande, um alívio para os moradores que sofreram com o clima de deserto nas últimas semanas.

A instabilidade deve aumentar os índices de umidade e também colaborar para o controle de focos de incêndio, especialmente no Pantanal.

Deve chover na Cidade Branca a partir de terça-feira (13), com possibilidade de pancadas de chuvas previstas até o próximo domingo (18).  

O dia mais quente da semana será amanhã, com máxima de 39ºC e mínima de 26ºC. Temperaturas que devem cair a partir de quinta-feira, quando a máxima será de 33ºC e a mínima de 23ºC.

Corumbá ainda deve sofrer com o clima esfumaçado, causado pelas queimadas no Pantanal. A umidade relativa do ar chega aos 28% neste domingo (11) no município.

 
 

Felpuda


Comentários maldosos nos meios políticos dão conta que duas figurinhas que se rebelaram contra os próprios colegas poderão ficar no sereno político e, de forma indireta, serem personagens das próprias manifestações.

Um deles defendeu a redução do número de vereadores, e o outro disse ter vergonha de exercer o cargo. Agora enfrentam altos e baixos na campanha eleitoral.