Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

SECA

Chuvas ajudaram, mas rios de MS continuam em níveis considerados críticos

Expectativa é de demora para reposição do nível de água, com menos chuva prevista para o verão
07/11/2020 16:24 - Glaucea Vaccari


Chuvas que caíram nas útlimas semanas em Mato Grosso do Sul não foram suficientes para repor o nívels de água dos principais rios do Estado, que continuam em situação crítica.

De acordo com o secretário estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck, a situação é mais preocupante no Rio Paraguai, que tem a maior parte de sua extensão abaixo do nível mínimo.

“Vamos ter um longo período ainda de não reposição do volume normal dos rios. A previsão é de que nesse Verão as chuvas não ocorram com a intensidade de anos anteriores”, disse.

O secretário afirmou ainda que as chuvas amenizaram a situação dos incêndios florestais, mas se mantém o alerta de novos focos decorrentes de raios, como já ocorre na região da Serra do Amolar.

Prognósticos apresentados em reunião da Sala de Crise do Pantanal apontam que a o Estado enfrenta a seca mais longa da história do Pantanal, com graves consequências para a fauna e flora, e as previsões de chuvas abaixo da média para os próximos meses.

Boletim da Sala de Situação do Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul), divulgado nesta sexta-feira (6), mostra que em quatro pontos de medição, o rio Paraguai apresenta níveis abaixo do mínimo, portanto considerada situação de emergência.  

Na região do Porto Esperança o nível do rio está 72 centímetros abaixo do mínimo, e em Ladário, apesar de haver subido um pouco, ainda continua com 14 centímetros abaixo do mínimo medido pela régua.

Já os rios Aquidauana, Miranda, Piquiri e Taquari estão em melhores condições.  

Desde o início de novembro, em apenas um ponto do rio foi registrada chuva e de apenas 1,2 milímetro. Nos demais não houve precipitações ainda nesse mês.

Para o ano, previsão é de que não ocorra transbordamento dos rios da Bacia do Alto Paraguai e que inundação da planície pantaneira seja menor.

Calor extremo, que chegou a atingir 44°C no Estado, baixa umidade e seca prolongada fez com que este ano tivesse recorde de focos de incêndios no Pantanal, com mais de 20 mil focos de incêndios na região até então.

 
 

Felpuda


Esforços vêm sendo feitos por certos candidatos derrotados na tentativa de conseguir emplacar em cargos públicos comissionados alguns ex-integrantes das equipes de trabalho da campanha eleitoral.

A preocupação não seria, na realidade, com situação de dificuldades que essas pessoas enfrentariam a partir de agora, mas, sim, para livrarem-se de pagar pendências trabalhistas referentes ao período da disputa. Tem cada uma!