Clique aqui e veja as últimas notícias!

COVID-19

Clínicas privadas do Brasil fecham acordo para compra de vacina indiana

Negociações para a compra de 5 milhões de doses foram concluídas; vacina ainda não tem aval da Anvisa
27/01/2021 12:16 - Da Redação


A Associação Brasileira das Clínicas de Vacinas (ABCVAC) e a importadora Precisa Medicamentos fecharam acordo, com a farmacêutica Bharat Biontech, da Índia, para a compra de cinco milhões de doses da vacina indiana Covaxin. 

De acordo com o Valor Econômico, as negociações foram concluídas e as empresas importadoras negociam a venda do imunizante com clínicas privadas brasileiras.

O imunizante, que está na fase três de testes na Índia, ainda não tem aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), mas a expectativa da  farmacêutica é que ele esteja no mercado privado em abril.

Últimas notícias

Conforme as informações divulgadas, das doses já negociadas, cada clínica poderá adquirir entre 2 mil a 400 mil doses da vacina.

Os preços a serem pagos pelas unidades privadas varia de R$ 32,71 a R$ 40,75 por unidade, dependendo do quantitativo adquirido. No entanto, o preço a ser cobrado do paciente ainda não foi definido.

As clínicas interessadas devem fazer o pedido a importadora até esta sexta-feira (27). Elas devem pagar, antecipadamente, 10% do valor do contrato para reservar o lote, mais 50% quando for liberada a importação e 40% na entrega do imunizante.

Caso a Covaxin não seja aprovada pela Anvisa, o dinheiro será devolvido.

Os testes devem ser concluídos no dia 25 de fevereiro e, na sequência, o grupo farmacêutico afirma que entrará com o pedido de registro definitivo junto à Anvisa.

Isto porque, pelas regras atuais, o setor privado não pode comprar vacinas que tenham aprovação para uso emergencial.

A comunidade científica da Índia tem feito críticas aos estudos clínicos da vacina, devido a não haver transparência na divulgação dos dados.

Além do setor particular, o governo federal também negocia com a Bharat Biotench um lote de 50 milhões de doses, mas anda aguarda o término das pesquisas clínicas.

Desde o ano passado, clínicas particulares tentam adquirir doses de vacinas, mas não há aprovação para vacinação na rede privada. Especialistas afirmam que, com a falta de vacinas no mundo, há um risco em imunizar apenas pessoas que tenham condições financeiras de pagar pelo imunizante.

Ontem (26), o presidente Jair Bolsonaro disse que o governo federal apoia a iniciativa de empresários de importar, por conta própria, vacinas contra a covid-19 para imunizar seus funcionários. 

 Segundo o presidente, o governo assinou uma carta de intenção favorável à medida. As doses no entanto, não poderiam ser vendidas, apenas aplicadas em funcionários.