Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

TRATAMENTO

Campo Grande começará a tratar pacientes de Covid-19 com cloroquina

Município tem 40 mil doses já estão disponíveis
10/04/2020 14:47 - Fábio Oruê, Ricardo Campos Jr


 

Campo Grande usará a cloroquina para tratamento de pessoas diagnosticadas com o coronavírus no município, que atualmente tem 49 casos confirmados, segundo último boletim epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde (SES). 

A informação sobre o uso do remédio foi confirmada pelo prefeito Marcos Trad (PSD), durante abertura do centro de triagem no Parque Ayrton Senna, montado para atender pessoas com sintomas da doença. 

“Temos um estoque e já estamos com ata pronta para que, caso necessário, adquirir mais doses”, disse. Segundo ele, o município tem 40 mil doses para usar nos tratamentos, porém, somente pacientes com estados moderados à graves poderão fazer uso do remédio. 

LIBERAÇÃO

Com alerta de poder causar mais danos e prejuízos do que realmente auxiliar no tratamento da Covid-19, após muita polêmica o Ministério da Saúde liberou no dia 25 de março o uso da cloroquina e da hidroxicloroquina (nome genérico do produto) para pessoas internadas em estado grave com a doença causada pelo novo coronavírus. O medicamento é usado para tratar doenças como malária, lúpus, artrite e artrite reumatoide.

A medida, porém, foi comunicada com diversos alertas do ministro Luiz Henrique Mandetta. “Vamos deixar esse remédio ao alcance [de quem está internado em estado grave]. O Brasil tem vasta experiência no uso deste remédio por conta da incidência de malária. Mas ele pode causar arritmia cardíaca, deixar o coração fora do ritmo, e aumentar o fígado”, alertou.

 

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.