Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORONAVÍRUS

Com 515 respiradores, governo quer comprar mais para criar novos leitos de UTI

Pelo menos 227 vagas serão abertas nos próximos dez dias
24/03/2020 18:34 - Adriel Mattos, Glaucea Vaccari


 

Atualmente com 515 respiradores na rede pública de saúde, Mato Grosso do Sul deve aumentar esse número, criando leitos em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) para atender pacientes com Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. O governo está ainda entrando com contato com fornecedores para obter os equipamentos.

“Temos tentado comprar o maior número possível para abrir mais e mais leitos de UTI. [O ministro da Saúde, Luiz Henrique] Mandetta também está através de quatro empresas que já atendem o ministério e trabalhando intensamente para nova compra de respiradores”, explicou  a secretária-adjunta de estado de Saúde, Christine Maymone, durante transmissão ao vivo na rede social Facebook na tarde desta terça-feira (24).

Sobre os testes, a secretária-adjunta disse que apenas mais de 50 exames foram feitos em pacientes com suspeita da doença. “É importante destacar que em momento algum faltou esse insumo, ontem [segunda-feira, 23] recebemos 360 testes que estão dando conta da demanda. Um processo foi aberto para adquirir kits para 10 mil testes para que o maior número de pessoas possam ser testadas”, afirmou.

Christine orientou a população a usar com parcimônia máscaras descartáveis ou hospitalares. “É muito importante que se tenha bastante noção do uso adequado da máscara. Se você estou gripado, deve ficar em isolamento domiciliar. Se tiver contato ou na excepcionalidade que tenha que ir em algum lugar, aí sim usar a máscara”, ressaltou.

Nos próximos dez dias, o Estado deve abrir 227 leitos de UTI, como noticiou o Correio do Estado na edição de ontem. Uma parcela dos 227 novos leitos de UTI será adaptada dos 5.596 leitos que Mato Grosso do Sul têm na atualidade, conforme dados do DataSUS. Deste total, 2.220 estão em Campo Grande. Mais da metade dos leitos da Capital (1.317) pertence à rede pública.

O Ministério da Saúde projeta que o volume de pessoas contagiadas chegue a 22 mil pessoas nos próximos dez dias no Estado. Como uma média de 5% dos infectados com a Covid-19 precisam de internação intensiva, se todos precisarem de leitos de UTI, seriam necessários 1,1 mil para atender a demanda.  

O aumento de leitos de UTI nos hospitais de Mato Grosso do Sul seria o plano A no combate aos danos causados pelo novo coronavírus. O plano B, conforme o Correio do Estado apurou, também seria a ampliação dos hospitais de campanha das Forças Armadas.  

Se ainda assim a demanda por atendimento continuar alta, as autoridades de saúde de Campo Grande têm dois locais à disposição para receber os pacientes. A Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) já ofereceu o Estádio Pedro Pedrossian, o Morenão, para transformar suas instalações em hospital. A Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul (Fiems) também disponibilizou as instalações do Centro de Convenções Albano Franco, no Bairro Carandá Bosque.

 

Felpuda


Pré-candidato a prefeito de Campo Grande divulgou vídeo em que político conhecido Brasil afora anuncia apoio às suas pretensões. O problema é que o tal líder já andou sendo denunciado por mal feitos em sua trajetória, sem contar que o pai do dito-cujo teve de renunciar ao cargo de ministro por ter ligações nebulosas com empresa de agrotóxico. Depois do advento da internet, essa coisa de o povo ter memória curta hoje não passa de coisa “da era pré-histórica”.