Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

"CEMITÉRIO DOS AVIÕES"

Com aeronaves sucateadas, Governo do Estado gasta <br> mais com viagens

Reinaldo Azambuja (PSDB) disse que não usou aeronaves do Estado desde que assumiu
27/07/2015 14:12 - Aliny Mary Dias e Kleber Clajus


 

Enquanto pelo menos 10 aeronaves que pertencem ao Estado permanecem inutilizadas e sucateadas, o Governo do Estado precisa gastar mais para cumprir os compromissos que exigem viagens mais longas.

Depois de o Ministério Público Estadual (MPE) abrir inquérito para apurar improbidade administrativa em razão do abandono dos aviões cedidos pela Justiça ao Estado, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) afirmou hoje durante agenda pública que desde que assumiu o mandato, em janeiro, nunca usou nenhuma aeronave do Estado.

“Muitos desses aviões já viraram sucata, então que haja apuração e punição de quem é o culpado. De janeiro para cá não pegamos nenhum avião ao Estado e até estamos precisando, porque estamos pagando horas de voo”, disse o governador.

SUCATAS

No fim do ano passado, o Correio do Estado denunciou a situação e apurou o sucateamento de pelo menos 10 aviões. Por baixo, as aeronaves valeriam cerca de R$ 15,7 milhões.

Quem instaurou o inquérito do MPE foi o promotor Henrique Franco Cândia, da 31ª Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e o objetivo será apurar possível ato de improbidade administrativa praticada pelo Governo do Estado.

O motivo da deterioração das aeronaves, de acordo com a publicação presente no diário oficial do MPE desta segunda-feira (27), seria a falta de manutenção e troca de peças.

Na maioria dos casos, as aeronaves são cedidas ao governo do Estado, que fica com o status de fiel depositário. O juiz federal, Odilon de Oliveira, no ano passado, alertou para a responsabilidade da administração estadual nestes casos. “Todo fiel depositário tem obrigação de zelar pelo bem que está sob sua posse”, explica.

Felpuda


Figurinha está trabalhando intensamente para tentar eleger a esposa como prefeita de município do interior.

Até aí, uma iniciativa elogiável. Uns e outros, porém, têm dito por aí que seria de bom tom ele não ensinar a ela, caso seja eleita, como tentar fraudar folha de frequência de servidores. 

Afinal, assim como ele foi flagrado em conversa a respeito com outro colega, não seria nada recomendável e poderia trazer sérias consequências. Só!