Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CRÉDITO

Com dívida de R$ 140 milhões com a Caixa, Santa Casa terá juros reduzidos pela metade

Medida foi anunciada pela União nesta sexta-feira, como forma de ajudar hospitais durante pandemia
27/03/2020 11:47 - Daiany Albuquerque


 

A Caixa Econômica Federal anunciou na manhã desta sexta-feira (27) que reduzirá pela metade os juros anuais cobrados em empréstimos das Santas Casas. Com isso, a unidade de Campo Grande, que tem dívida de R$ 140 milhões (sem juros) com o banco poderá renegociar o pagamento.

De acordo com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), os juros que eram cobrados de 20% ao ano passarão para 10% para os hospitais filantrópicos, como as Santas Casas, por conta do aumento da demanda que esses hospitais terão durante a pandemia do Covid-19, o novo coronavírus.

A informação foi passada durante entrevista coletiva em Brasília, que contou com a presença, além de Bolsonaro, do presidente da Caixa Econômica, Pedro Guimarães, do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, e o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Gustavo Montezano. 

Em Campo Grande, a Santa Casa, maior hospital de Mato Grosso do Sul, realizou vários empréstimos com o banco, segundo o diretor-presidente do hospital, Esacheu Nascimento, todos foram feitos durante a intervenção do poder público no centro médico.

“Aquilo é fruto da dívida que nós recebemos da Santa Casa, não é dívida que nós fizemos. O problema é que nós recebemos R$ 168 milhões de dívidas, paguei R$ 30 milhões”, declarou Esacheu no ano passado, em coletiva do hospital. 

A intervenção do hospital durou oito anos e terminou em 2013 e foi implantada porque no fim de 2004 a Justiça decidiu que a Associação Beneficente de Campo Grande (ABCG), mantenedora da Santa Casa, deveria ser afastada da direção por conta da falta de dinheiro, superlotação, das dívidas e das condições de atendimento aos pacientes. O hospital chegou a suspender os atendimentos. A junta interventora era formada pelos governos municipal e estadual, com o apoio do Ministério Público. 

Em matéria publicada em outubro do ano passado, pelo jornal Correio do Estado, levantamento feito pela reportagem apurou que, com os juros, o hospital teria dívida de aproximadamente R$ 300 milhões, sendo que a maior parte seria com a Caixa Econômica. No ano passado o hospital ainda realizou outro empréstimo, dessa vez com o banco Daycoval, de R$ 10 milhões para a compra de medicamentos.

Além da redução no juros dos empréstimos já em andamento, o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, também anunciou que os hospitais terão mais facilidade em conseguir crédito com o banco, também com juros reduzidos de 10% ao ano.

Ao todo serão concedidos crédito de até R$ 5 milhões pela Caixa Econômica a todas as Santas Casas do Brasil.

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.