Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORONAVÍRUS

Com lugar marcado e máscara, igrejas voltam com missas na Capital

Paróquias adotaram medidas de segurança e pedem que idosos fiquem em casa
26/04/2020 09:30 - Naiane Mesquita


 

As igrejas católicas de Campo Grande retomaram as missas presenciais neste final de semana. Entre as medidas de segurança adotadas estão a restrição de permanência no local de idosos e pessoas que integram o grupo de risco para o novo coronavírus (Covid-19), além de uso de máscaras e álcool em gel. 

Na Paróquia São José, localizada na região Central de Campo Grande e uma das maiores da cidade, a missa ocorreu com a presença de poucos fiéis. De acordo com o coordenador de pastoral da igreja, Bruno Cilião, as medidas de segurança foram recomendadas pela Arquidiocese de Campo Grande. “Grupo de risco, como crianças de até 12 anos e idosos com mais 60 anos, são orientados que fiquem em casa todos os dias. As missas continuam com transmissão ao vivo pelo Youtube para que eles acompanhem”, explica.

Durante a semana as missas ocorrem às 6h15 e 18 horas. Enquanto no domingo, os horários são às 6h15, 7h30, 9h, 16h30 e 18 horas. 

 
 

Marcações de assentos

Na Igreja Nossa Senhora da Conceição Aparecida, no bairro Planalto, os fiéis precisaram agendar a participação na missa com antecedência e a entrada só foi permitida com o uso de máscara adequada para evitar a transmissão do vírus, como as de pano. “Os bancos da igreja também foram marcados com antecedência e respeitando a distância recomendada. Em um banco que cabe normalmente seis pessoas, apenas duas se sentaram”, explica Patrícia Helena Rodrigues Freire, membro da liturgia da Igreja. 

A Paróquia também continua com as transmissões on-line para fiéis que se enquadram no grupo de risco. “No início seriam feitas duas missas, uma dentro da igreja e outra no salão, mas não teve muita gente agendando, então não precisou. Muitas pessoas ainda estão com medo e há muitos idosos entre os fiéis”, ressalta Patrícia. 

Os fiéis da Paróquia Cristo Rei, no bairro Coophavilla, também retornaram as atividades dominicais. Segundo o padre John Paul, há uma equipe na acolhida repassando as orientações de higiene necessárias para evitar a transmissão da Covid-19. “Orientando a passar álcool em gel, ao comportamento necessário dentro da igreja, como o uso de máscara e respeitando o distanciamento do outro”, ressalta.

Idosos e crianças também não foram permitidos na missa. “Quem está com alguma doença ou sentindo dores e febre deve permanecer em casa, não estamos permitindo na igreja”, frisa.

Decreto

O decreto 14.219, da Prefeitura Municipal, autorizou o retorno das atividades religiosas dentro das igrejas, que poderão ser realizadas entre 6 da manhã e às 18h30, em Campo Grande. Cultos, missas e outras manifestações estavam vetadas como parte da estratégia para evitar aglomerações e a disseminação do novo coronavírus (COVID-19).

As normas para a realização de missas incluem a higienização, restrição do acesso à pessoa do grupo de risco, além da ocupação ser limitada a uma pessoa por metro quadro no espaço de uso público, com distanciamento mínimo de 1,5 metro entre um e outro frequentador.

O decreto proíbe a participação nas manifestações religiosas dentro das igrejas de pessoas que se enquadrem nos grupos de maior risco ao novo coronavírus (COVID-19);  portadores de doenças cardiovasculares ou pulmonares; tenham imunodeficiência de qualquer espécie; transplantados; maiores de 60 anos e  gestantes.

Para receber os fiéis, as igrejas devem ser higienizadas, antes e depois de cada utilização; oferecer de forma permanente produtos para higienização das mãos, com água e sabão e, se possível, álcool 70º;  se possível, realizar a aferição de temperatura corporal na entrada do estabelecimento, mediante utilização de termômetro infravermelho. Deve ser barrada a entrada daqueles que estiverem em estado febril.  Será obrigatório manter os locais arejados, com todas as janelas e portas abertas, além da fixação de cartazes informativos e educativos para prevenção da disseminação do novo coronavírus (COVID-19).

 

 

Felpuda


Mesmo sem ter, até onde se sabe, combinado com o eleitor, candidato a prefeito começou a apresentar nomes do seu ainda hipotético secretariado, pois parece estar convicto de que conseguirá vencer a disputa.

Os adversários dizem por aí que ele está muito distante de “ser um Jair Bolsonaro”, que, ainda na campanha eleitoral para presidente da República, já falava em Paulo Guedes para ser seu ministro de Economia. Como sonhar é permitido