Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PANDEMIA

Com medo do coronavírus, prefeito coloca manilhas para conter entrada de turistas

Três acessos pela BR-163 foram bloqueados
25/03/2020 14:33 - Izabela Jornada


 

Prefeitura de Coxim-MS, cidade que fica 255 quilômetros de Campo Grande, colocou manilhas em três acessos da BR-163 como uma das maneiras de conter a disseminação do coronavírus, no município. De acordo com o líder do Executivo, Aluízio São José, a decisão de criar barreiras sanitárias faz parte do Comitê de Crise e tem o objetivo de controlar a entrada e a saída de pessoas.

Uma das maiores preocupações do prefeito é a falta de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) na cidade. “Coxim não tem UTI, estamos preparando um hospital de campanha, com 30 leitos, em parceria com o Exército, para atender os suspeitos e os confirmados também”, afirmou Aluízio. O local será destinado para realização de exames e instalação de algumas UTIs.

Outra preocupação do prefeito é em relação a cidade ser um local turístico em que recebe várias pessoas de fora. “Não temos como controlar esse fluxo e por esse motivo decidimos colocar as manilhas”, justificou.

A cidade, que tem 34 mil habitantes, é considerada um dos centros regionais da pesca, no Estado. De acordo com o prefeito, uma grande parte de turistas vem de São Paulo-SP, um dos locais do Brasil que tem 810 casos confirmados de contaminação pelo COVID-19 e que já registrou 40 mortes, de acordo com boletim epidemiológico divulgado na última terça-feira (24).  

Coxim também aderiu a quarentena e há uma semana as escolas estão fechadas; há quatro dias, os comércios não estão em atividade, apenas mercados e farmácias estão autorizados, por meio de decreto municipal, a funcionarem. 

 
 

Nas barreiras sanitárias, funcionários da vigilância vão ficar responsáveis em fazer a fiscalização. “Quem é de Coxim está liberado para entrar, vamos apenas orientar pessoas que chegam de outras cidades a, se estiverem com sintomas, fazer o isolamento social por sete a 14 dias, conforme determina o protocolo sanitário”, explicou o prefeito.

A ação de Aluízio foi apoiada por alguns e criticada por outros. “Muitos estão preocupados com a saúde e outros também estão preocupados com as atividades fechadas, as opiniões divergem”, afirmou.

Sobre o pronunciamento feito pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), em rede nacional, na noite de ontem, que acabou gerando debate entre governantes, o prefeito de Coxim preferiu não se manifestar. “Vamos seguir o que as autoridades epidemiológicas tem nos passado”, declarou.

A cidade tem um Hospital Regional que atende outros quatro municípios: Rio Verde, Sonora, Alcinópolis e Pedro Gomes.

O prefeito afirmou também que vai fazer parceria com o Hospital da Cassems para que os partos sejam feitos na unidade e que o Regional seja totalmente isolado para atender apenas a “avalanche de casos”, se assim acontecer.

 

Felpuda


Alguns políticos estão se aproveitando deste momento preocupante de pandemia para sugerir projetos oportunistas que, em alguns casos, são de resultados extremamente duvidosos. O mais interessante – para não dizer outra coisa – é que se for analisado o desempenho normal dessas figuras, verifica-se que essa preocupação toda nunca esteve no topo das suas prioridades. Ano eleitoral é assim mesmo. Lamentável!