Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

BOLETIM

Com três novas vítimas, mortes por dengue já quase superam as do ano passado

Em quatro meses, Estado tem 28 mortos pela doença; Em todo o ano passado foram 29
29/04/2020 16:04 - Glaucea Vaccari


 

Secretaria Estadual de Saúde confirmou três novas mortes por dengue nesta semana, em Mato Grosso do Sul. Desta forma, número de vítima da doença subiu para 28 neste ano no Estado, segundo boletim epidemiológico divulgado nesta quarta-feira (29). Durante todo o ano passado, foram 29 mortes.

Vítimas são uma mulher de 54 anos, de Campo Grande, que tinha como comorbidade doença renal crônica; mulher de 83 anos, de Naviraí, que sofria de hipertensão e doença cardíaca; e uma mulher de 59 anos, de Mundo Novo, que também tinha hipertensão.  

Além das mortes, foram notificados 3.719 casos suspeitos de dengue na última semana, sendo confirmados 2.706, totaliando 22.654 casos confirmados no ano. O Estado enfrente uma epidemia e o Ministério da Saúde classificou, na semana retrasada, Mato Grosso do Sul como estado prioritário para a dengue, colocando-o em situação de atenção.

Campo Grande é a cidade com mais mortes por dengue, com cinco vítimas, seguida por Corumbá, que soma quatro óbitos. Chapadão do Sul, Mundo Novo e Naviraí têm dois pacientes que morreram pela doença, cada.  

Também foram confirmadas mortes por dengue em Sete Quedas, Cassilândia, Pedro Gomes, Nova Andradina, Caarapó, São Gabriel do Oeste, Bodoquena, Dourados, Aquidauana, Sidrolândia, Paranaíba, Itaquiraí e Laguna Carapã.  

Todos os 79 municípios de Mato Grosso do Sul têm alta incidência para dengue, com mais de 300 casos para cada 100 mil habitantes.  

Em todo o ano passado, foram notificados 70.651 casos suspeitos de dengue no Estado, com 29 mortes em decorrência da doença. Na Capital, foram 39.417 casos notificados, sendo 19.647 confirmados e oito óbitos. 

COMBATE 

Em meio a pandemia do coronavírus, orientação é para que população não deixe de lado também os cuidados para evitar a proliferação do Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya. 

Para combater o mosquito é preciso evitar água parada mantendo bem tampado qualquer local que possa acumulá-la, como tonéis, caixas e barris de água, caixas d’agua e garrafas; acondicionar pneus em locais cobertos; remover galhos e folhas de calhas; não deixar água acumulada sobre a laje; encher pratinhos de vasos com areia até a borda ou lavá-los uma vez por semana e fazer sempre a manutenção de piscinas.

Além disso, é importante trocar água dos vasos e plantas aquáticas uma vez por semana; colocar lixos em sacos plásticos em lixeiras fechadas; fechar bem os sacos de lixo e não deixar ao alcance de animais; manter garrafas de vidro e latinhas de boca para baixo; tampar ralos; catar sacos plásticos e lixo do quintal, entre outras medidas que impeçam o acúmulo de água e de sujeiras.

 

Felpuda


Alguns pré-candidatos que estão de olho em uma cadeira de vereador vêm apostando apenas nas redes sociais, esperançosos na conquistados votos suficientes para se elegerem. A maioria pede apoio financeiro para continuar mantendo suas respectivas páginas, frisando que não aceita dinheiro público ou de político, fazendo com que alguns se lembrem daquela famosa marchinha de carnaval: “Ei, você aí, me dá um dinheiro aí, me dá um dinheiro aí...”. Como diria vovó: “Essa gente perdeu o rumo e o prumo”.