Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

NA RUA

Primeiro dia após fim do 'semi-lockdown', centro registra consumidores abaixo da média

A partir deste sábado, lojas podem funcionar com 50% da capacidade, 20% a mais do que nas últimas duas semanas
01/08/2020 13:12 - Gabrielle Tavares, Marcos Pierry


Um dia após o fim do ‘semi-lockdown’, centro da Capital recebe consumidores abaixo da média comum nos dias de sábado. De acordo com o relato de comerciantes, o movimento nos dias úteis dessa semana foi bem maior que o verificado na manhã de hoje (1º).

A reportagem do Correio do Estado foi às ruas para observar o movimento da cidade. Nas ruas 14 de Julho e 15 de Novembro, duas das principais vias do comércio varejista de Campo Grande, havia pouca circulação de pessoas até as 12 horas.

A vendedora de joias Isis Pereira Lemos, de 22 anos, disse que a loja onde trabalha ficou fechada nos últimos dois fins de semana por não se enquadrar na lista de produtos essenciais. 

Mesmo assim, durante a semana o estabelecimento registrou alto volume de clientes. "Tivemos, inclusive, que barrar pessoas na entrada da loja”, afirmou a vendedora. 

 
 

Isis teme que o comércio tenha que ser fechado de novo por causa da falta de conscientização da população. “Tem muita gente aqui só passeando, não vêm com algum propósito específico. Acredito que a gente tem que se cuidar, mas muitas pessoas estão levando na brincadeira”, ressalta.

 
 

Novas medidas

No período de hoje até 16 de agosto, as atividades econômicas e sociais deverão limitar o atendimento a até 50% da capacidade máxima do recinto, de acordo com o decreto n. 14.402, publicado no dia 30 de julho, e republicado na sexta-feira (31).  

O comércio em geral poderá abrir das 9h às 19h aos sábados, e das 9 às 16h aos domingos. Os shoppings poderão abrir todos os dias da semana, das 11h às 20h. Restaurantes poderão funcionar diariamente, das 5h às 21h.

Estabelecimentos listados como atividade essencial não têm obrigação de horários a serem cumpridos e podem funcionar normalmente. Atividades religiosas e da construção civil são algumas das listadas como essenciais, ao lado de hospitais, postos de saúde, farmácias, postos de combustível, supermercados, linhas municipais de ônibus coletivo e serviços de transporte por aplicativo.  

 
 

Bandeira preta

Campo Grande foi classificada pelo Programa Prosseguir, do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, com a cor preta. A bandeira representa um grau extremo, em que o lockdown torna-se medida obrigatória para frear a disseminação do coronavírus.

A classificação ocorreu um dia depois de o prefeito Marcos Trad (PSD) ter liberado o comércio em geral, além de academias, shoppings, restaurantes e outras atividades não essenciais para funcionar neste sábado e domingo.

A decisão foi no sentido oposto do que ocorreu nos últimos dois fins de semana, quando apenas as atividades essenciais eram permitidas.

 

Felpuda


Nos bastidores, há quem garanta que a única salvação, de quem está com a corda no pescoço, é ele aceitar ser candidato a vice-prefeito em chapa de novato no partido. Vale dizer que isso nunca teria passado por sua cabeça, uma vez que foi eleito com, digamos, “caminhão de votos”. Se aceitar a imposição, pisaria na tábua de salvação; se recusar, poderá perder o mandato. Ah, o poder!