Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

NOVA ONDA

Com aumento de casos, comitê da Covid-19 da Capital deve se reunir esta semana

Grupo de especialista discutirá ações que possam conter a curva de alto no número de infecções em Campo Grande
22/11/2020 17:06 - Flávio Veras


O aumento de casos do novo coronavírus (Covid-19) tem preocupado as autoridades de saúde de Campo Grande. Segundo o secretário de Saúde da Capital, José Mauro, a alta o número de casos se deve ao comportamento da população que está realizando aglomerações em bares e festas.  

Ainda de acordo com o secretário, está semana irá ter uma reunião entre os integrantes do gerenciamento da Covid-19 para avaliar quais medidas poderão ser adotadas para conter curva acentuada de alta.  

“Estamos monitorando, mas um possível decreto, como um toque de recolher, interfere na vida de muita gente. Por esse motivo, estamos observando esse número de aumentos de casos diariamente. Essa semana, o comitê de gerenciamento da Covid-19 vai sentar, discutir as medidas e, posteriormente, iremos orientar o prefeito Marcos Trad. Portanto, nenhum tipo de medida é descartada, pois, dependerá do avanço, ou não, da doença”, avaliou.

Segundo o secretário, o comportamento da população, principalmente os mais jovens, têm contribuindo para que a curva volte a subir. “Estamos observando bares cheios e muita festas com aglomerações. Os casos hoje, em sua maioria, são de pessoas de 20 a 40 anos, por isso não termos muitas internações. Portanto, a situação está controlada”, explicou.  

E complementou afirmando que “já passamos por um pico da doença, e nesse período, tomamos todas as medidas necessárias. A avaliação deve ser constante, e fazemos ela de manhã e à tarde. Portanto, caso seja necessário, poderemos ampliar o número de leitos para atender a população que possa ser acometida pela Covid-19.”

De acordo com a Secretária de Estado de Saúde (SES), Campo Grande registrou 572 novas infecções e quatro mortes, provocadas pela pandemia, nas últimas 24 horas.

 
 

Felpuda


Comentários ouvidos pela “rádio peão”, em ondas curtas, são de que figurinha só ganharia apoio dos colegas caso pessoa agregada fosse “curtir a aposentadoria” de uma vez por todas. Como seu acordo político acabou naufragando nesta campanha, agora dito-cujo estaria querendo recuar e não ceder o lugar. 

Isso até poderia acontecer, se não fosse a sua, digamos, eminência parda. Afe!