Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORONAVÍRUS

Mora com um idoso? Veja dicas para protegê-lo na pandemia

O índice de óbitos por coronavírus é maior entre pessoas com mais de 60 anos
22/07/2020 09:14 - Gabrielle Tavares


O índice de óbitos em decorrência da Covid-19 é muito maior entre a população idosa. Em Mato Grosso do Sul, a maioria dos registros das mortes no Boletim Epidemiológico do Governo do Estado é de pessoas com idade entre 60 a 80 anos.

Dados do Instituto de Pesquisa para o Desenvolvimento (IRD) da Universidade de Paris, indicaram uma taxa de mortalidade de 21,1 por milhão de habitantes entre homens com idade de 0 a 18 anos, ao passo que esse número é de 592 por milhão entre idosos do sexo masculino com idade de 65 a 69 anos, ou seja, um intervalo de apenas 5 anos.

Os números reforçam a importância do distanciamento social, entre a população jovem ou idosa. 

Mas para indivíduos com idade superior a 60 anos a preocupação deve ser redobrada.  

 

 
 

Veja abaixo dicas sobre como auxiliar os idosos no período de quarentena: 

 

- Controle o estado de saúde dele. Verifique se o idoso apresenta sintomas de Covid-19, como febre, tosse e dificuldade para respirar. Se o idoso mora sozinho, faça o mesmo, porém por telefone, de preferência. Se for visitá-lo, evite o contato físico e mantenha sempre uma distância segura;

- Se alguém na casa apresentar sintomas, evite contato físico. Intensifique todas as medidas de prevenção quando um membro da casa estiver com suspeita de contaminação pelo novo coronavírus;

- Limpe e desinfete regularmente a casa. Em especial, se alguém da casa estiver saindo para atividades diversas, como ir trabalhar, fazer compras etc;

- Evite compartilhar objetos de uso pessoal. Copos, pratos, talheres e toalhas são exemplos de itens que devem ser de uso único e exclusivo de uma só pessoa;

- Assegure-se de que o idoso tenha um estoque de seus medicamentos regulares. Procure ter remédios de uso controlado ou contínuo em quantia suficiente para um mês inteiro. Isso evita idas constantes à farmácia ou a médicos;

- Siga as medidas de distanciamento social. Evite espaços públicos e compartilhados com muitas pessoas. Se vai ao mercado, peça para o idoso ficar em casa aguardando-o. Em caso de idosos que moram sozinhos, se ofereça, caso possível, para resolver em seu lugar o que ele precisa fazer fora de casa;

- Estimule-o a ter hábitos saudáveis. Consumir alimentos nutritivos, dormir o suficiente, não fumar, manter-se ativo e limitar o consumo de bebidas alcoólicas são comportamentos que devem ser reforçados;

- Faça um plano para o caso do idoso precisar ir a um serviço de saúde. A utilização de máscaras e a busca por meios de transportes diferentes do público devem estar no plano de transporte da pessoa idosa até o atendimento médico;

- Se o ente querido está em uma instituição de longa permanência, evite visitas. Use o telefone, chamadas de vídeo, e-mail. Qualquer meio não presencial para entrar em contato é válido para diminuir a sensação de abandono ou solidão que pode surgir no idoso;

- Seja gentil e demonstre empatia. Converse e escute-o com carinho e atenção. Com certeza, isso o ajudará a aliviar o estresse e a solidão.

 

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.