Cidades
INTERNET RÁPIDA

Confinamento na China ameaça 5G com atraso de até dois meses no Brasil

A venda de pacotes, prevista para o final de julho em todas as capitais, poderá sofrer atrasos de até dois meses, ficando para setembro

FOLHAPRESS

13/05/2022 22:00

A recente rodada de confinamento na China para tentar conter novos casos de Covid ameaça o início da operação de 5G no Brasil. A venda de pacotes, prevista para o final de julho em todas as capitais, poderá sofrer atrasos de até dois meses, ficando para setembro.

O grupo que acompanha a implantação do novo serviço pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) decidiu, nesta quarta-feira (11), encaminhar ao conselho diretor da agência uma recomendação para que seja permitida uma carência de até dois meses no cronograma original, sem punição prevista para a empresa.

Essa possibilidade já estava prevista no edital do leilão e, segundo o Gaispi (Grupo de Acompanhamento da Implantação das Soluções para os Problemas de Interferências), "o lockdown na China, a escassez de semicondutores, as limitações de transporte aéreo e a demora no desembaraço aduaneiro trouxeram impactos ao projeto".

O grupo é comandado pelo conselheiro da Anatel Moisés Moreira e conta com representantes do setor responsáveis pelo início do 5G no país.