Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CONCESSÃO

Consórcio Way-306 pagará R$ 605,4 milhões para administrar rodovia por 30 anos

Empresa vai desembolsar R$ 115 milhões na assinatura do contrato; dinheiro vai para o Fundersul
05/12/2019 12:07 - EDUARDO MIRANDA


 

O Consórcio Way-306 ofertou uma outorga de R$ 605,3 milhões e vai administrar a MS-306, rodovia que liga as cidades de Costa Rica e Cassilândia, na região Nordeste de Mato Grosso do Sul, pelos próximos 30 anos. A concessão da rodovia, uma das principais rotas de escoamento da produção do norte de Mato Grosso do Sul e sul e centro de Mato Grosso e de Goiás para a região Sudeste, vai ajudar a administração estadual a investir R$ 115 milhões em infraestrutura já em 2020.

Os R$ 115 milhões refere-se a parcela da outorga onerosa que o Consórcio Way-306 depositará no ato da assinatura do contrato de concessão. Os recursos irão para o Fundersul, o fundo que o governo usa para obras de infraestrutura rodoviária, rural e urbana. 

O contrato prevê investimentos de R$ 1,77 bilhão no período da concessão. O trecho de 219 quilômetros concedido atende os municípios de Costa Rica, Chapadão do Sul e Cassilândia, entre a divisa com o Estado de Mato Grosso até a cidade de Cassilândia.

Serão três praças de pedágio e a tarifa nelas será de R$ 8,72. A concessionária terá a obrigação de instalar terceira faixa em pontos críticos da rodovia, construção de rotatórias e trevos e reformas dos já existentes, além da adequação de pontes e viadutos. A concessionária também terá de oferecer socorro mecânico e também serviço de atedimento médico e resgate aos usuários.

Ainda haverá oito painéis de mensagens, sete radares fixos e um centro de operação monitorado por câmeras.
A proposta da Way-306, liderada pela Engenharia e Comércio Bandeirantes, venceu o Consórcio Via Brasil MS-306, liderado pela Conasa. O leilão foi realizado na Bolsa de Valores de São Paulo. 

Em 2014, na gestão André Puccinelli, o governo tentou conceder a rodovia à iniciativa privada. Não houve interessados.

Felpuda


Depois de se “leiloar” durante meses, e afirmando que estava até escolhendo o município para se candidatar a prefeito, ex-cabeça coroada não só não recebeu acenos amistosos, como também não encontrou portas abertas com tapete vermelho a esperá-lo. 

Assim, deverá pendurar as chuteiras e fazer como cardume em seu pesqueiro: nada, nada...