Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ESTADO DE EMERGÊNCIA

Médica diz que casos de coronavírus vão aumentar na Capital em três semanas

Santa Casa desenvolveu plano para atendimento de casos
11/03/2020 16:57 - Adriel Mattos


 

Com cinco suspeitas do novo coronavírus, Campo Grande deve ter um aumento considerável do número de casos nas próximas três semanas. A avaliação é da médica infectologista da Santa Casa, Priscilla Alexandrino.

“Temos a expectativa de um aumento exponencial do número de casos nas próximas três semanas, infelizmente”, destacou. Apesar do alerta, a médica frisou que a população não deve entrar em pânico.

A recomendação é evitar viagens, principalmente para países com casos confirmados. Idosos e pessoas imunocomprometidas são as principais vítimas fatais da Covid-19, doença causada pelo vírus.

O maior hospital de Mato Grosso do Sul já se prepara há mais de um mês para atender pacientes com sintomas do novo coronavírus. “Capacitamos os profissionais de saúde e agora vamos aos administrativos. Criamos um fluxo de atendimento, o que inclui o isolamento”, explicou.

Assim, o hospital tenta manter os estoques de insumos completos caso haja aumento de atendimentos. Os pacientes com sintomas serão atendidos normalmente, mas podem receber um kit com máscara e se for necessário, isolados dos demais.

Se houver um alto número de pacientes internados com suspeita ou confirmação de Covid-19, a direção da Santa Casa pode isolar completamente um setor da unidade.

BOLETIM

Nesta quarta-feira (11), a Secretaria de Estado de Saúde (SES) divulgou novo boletim epidemiológico do novo coronavírus. A situação continua a mesma de ontem (10): sete casos suspeitos, 15 descartados e oito excluídos.

Quatro pacientes são de Campo Grande, um de Dourados e outro de Três Lagoas. Em Paranaíba, um italiano está sendo monitorado pelas autoridades locais.

 

Felpuda


É quase certo que a aposentadoria deverá ocorrer de maneira mais rápida do que se pensava em determinado órgão. O que deveria ser a tal ordem natural dos fatos acabou sendo atropelada por acontecimentos considerados danosos para a imagem da instituição. Os dias estão passando, o cerco apertando e já é praticamente unanimidade de que a cadeira terá de ter substituto. Mas, pelo que se ouve, a escolha não deverá ser com flores e bombons de grife.