Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

COVID-19

São Julião receberá R$ 244,3 mil da Justiça para atuar como hospital de retaguarda no combate ao coronavírus

Hospital vai receber pacientes que não tem Covid-19 mas também precisam de atendimento devido a outros problemas de saúde
02/04/2020 15:18 - Glaucea Vaccari


 

Hospital São Julião vai receber R$ 244.346,00 de penas pecuniárias para atuar como hospital de retaguarda no combate ao Covid-19, propiciando a criação de novos leitos e compra de equipamentos. Decisão foi dada nessa quarta-feira (1º) pelo Poder Judiciário de Mato Grosso do Sul, por meio da 2ª Vara de Execução Penal de Campo Grande.

Pedido foi formulado pelo hospital, visando a compra de equipamentos de proteção individual para os profissionais de saúde e a criação de novos leitos, além de recursos para recompor danos sofridos em razão do furto de fios de cobre e de fios de cobre e equipamentos do poço artesiano que abastece a unidade, ocorrido no dia 25 de março. Os fios de cobre furtados são caros, específicos, por isso difíceis de encontrar.  

Hospital São Julião não está atendendo casos de Covid-19, porque a estrutura do hospital não possibilita isso. Contudo, ele está funcionando como uma retaguarda do Hospital Regional e dos postos de saúde que estão atendendo os casos de Covid-19. O fluxo de pacientes que não estão com coronavírus, mas que também precisam de atendimento, são direcionados ao São Julião.  

Decisão que acatou a liberação dos recursos para o projeto do hospital levou em consideração a relevância da iniciativa da instituição de saúde no combate ao Covid-19, “cujo contágio é extremamente veloz, resultando em medidas de isolamento social e no campo da saúde pública, na eleição de hospitais de referência para atuar de forma focada no atendimento dos infectados. E justamente neste ponto é que atua o Hospital São Julião (retaguarda), recebendo pacientes que não podem ser atendidos nas unidades de referência do Covid-19 ante o risco de contaminação, que tem atingindo inclusive os profissionais de saúde atuantes naquelas unidades”.

POLÍCIA MILITAR

Além do recurso para o Hospital São Julião,  foram liberados outros R$ 118.800,00 para o Primeiro Batalhão da Polícia Militar de Campo Grande adquirir luvas, máscaras e álcool em gel que serão utilizados pelos policiais.

“É indubitável o papel da polícia militar no combate à disseminação do vírus, pois se tratam de profissionais atuantes em serviço essencial (segurança pública), que precisam trabalhar protegidos, sem correr riscos, nem oferecer riscos à sociedade”, diz a decisão judicial.

 

Felpuda


Embora embalada por vários “ex”, pré-candidatura a prefeito de esforçada figura não deslancha. É claro que ninguém ousa falar em voz alta que o apoio, em vez de alavancar os índices com o eleitorado, está é puxando para baixo. Uns dizem que o título do filme “Eu Sei O Que Vocês Fizeram no Verão Passado” retrata bem a situação. Outros complementam: “... na primavera, no outono, no inverno...”. Como diria vovó: “Aqui você planta, aqui você colhe!”.