Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

COVID-19

Com quase 100 curados, Campo Grande volta a ter região sem coronavírus

Centro e Prosa têm maioria de casos, mas curados superam casos ativos
02/05/2020 17:02 - Glaucea Vaccari


 

Dos 137 casos de coronavírus confirmados em Campo Grande, 99 estão curados. Com o alto índice de recuperação, a Capital voltou a ter uma região sem casos da Covid-19, sendo o Imbirussu, onde todos os seis pacientes que testaram positivo finalizaram a quarentena, não apresentam mais sintomas.  

De acordo com a ferramenta virtual Sisgran-Coronavírus, que mostra a distribuição geográfica dos casos confirmados e suspeitos na Capital, o centro e a região do Prosa continuam como epicentros, com a maioria de casos. Apesar disso, regiões também concentram mais curados do que confirmados.

No Imbirussu, desde o início da pandemia, foram seis infectados, nos bairros Residencial Nelson Trad, Jardim Aeroporto, Vila Alba, Vila Almeida e dois no Coophatrabalho, todos já recuperados. A região não tem mais nenhum paciente que testou positivo para a doença, mas há quatro suspeitos em monitoramento, no Núcleo Industrial, Ana Maria do Couto, Petropólis e Jardim Imá.  

Região do Lagoa também tem maioria de curados no comparativo com os casos ativos, sendo sete recuperados e dois ainda com o vírus, no Tarumã e Leblon. Anhanduizinho, que foi a última região a confirmar casos, tem três curados e três ainda infectados. NO Segredo, também são três casos ativos e seis que finalizaram a quarentena.

Bandeira, primeiro epicentro do coronavírus nas primeiras semanas de pandemia, têm, até este domingo, sete pacientes com Covid-19 e 30 curados. No Residencial Damha, que chegou a ter pico de casos, todos se recuperaram.

Já na região do Prosa, são 11 confirmações ativas do novo coronavírus, a maioria no Novos Estados, e mais de 20 que venceram a doença. Centro tem um caso a menos, somando dez, também com dezenas de curados. 

 

Felpuda


Ex-cabecinha coroada anda dizendo por aí ser o responsável por vários projetos para Campo Grande, executados posteriormente por sucessor. 

Ao fim de seus comentários, faz alerta para que o eleitor analise atentamente de como surgiram tais obras e arremata afirmando que não foi “como pó mágico de alguma boa fada madrinha. 

Houve muito suor nos corredores de Brasília”. Então, tá!...