Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ESTRATÉGIA

Coronavírus: Mandetta está reunido com secretários de Saúde

Primeiro caso confirmado é tema da reunião
26/02/2020 09:57 - Estadão Conteúdo


O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, se reúne na manhã desta quarta-feira, 26, com secretários estaduais de saúde, para tratar sobre o primeiro caso confirmado de contaminação pelo novo coronavírus no Brasil. Após o encontro, o ministro concederá uma entrevista coletiva à imprensa.

O secretário de Saúde de Mato Grosso do Sul, Geraldo Resende, não participa de reunião, mas enviou representante. 

O primeiro caso com teste positivo para o novo coronavírus é de um homem de 61 anos, residente em São Paulo, com histórico de viagem para a Itália, na região da Lombardia (norte do país), a trabalho, sozinho, no período de 9 a 21 de fevereiro.

O paciente, segundo as autoridades, está bem, tem sinais brandos da doença e ficará em isolamento domiciliar.

Na ocasião, a pasta divulgará oficialmente o laudo final da investigação.

O caso foi relatado pelo Hospital Israelita Albert Einstein como suspeito de coronavírus na tarde da terça, 25. Com resultados preliminares realizados pela unidade de saúde e conforme o Plano de Contingência Nacional, o hospital enviou a amostra para o laboratório de referência nacional, Instituto Adolfo Lutz, para contraprova, que já foi realizada.

Segundo o hospital, o paciente foi atendido na unidade Morumbi, na zona sul da capital, na noite da última segunda-feira, 24, e a infecção foi confirmada por meio do teste PCR em tempo real.

Iniciado na China em dezembro, o surto já tem cerca de 80 mil casos pelo mundo e mais de 2,6 mil mortes. Desde o fim da semana, a explosão de casos da Itália tem elevado o alerta global sobre a doença.

Felpuda


Nos bastidores, há quem garanta que a única salvação, de quem está com a corda no pescoço, é ele aceitar ser candidato a vice-prefeito em chapa de novato no partido. Vale dizer que isso nunca teria passado por sua cabeça, uma vez que foi eleito com, digamos, “caminhão de votos”. Se aceitar a imposição, pisaria na tábua de salvação; se recusar, poderá perder o mandato. Ah, o poder!