MENU

Clique aqui e veja as últimas notícias!

CORONAVÍRUS

"Nem saímos da primeira onda e já entramos na segunda", diz adjunta da Saúde

Média móvel é de 921 novos casos por dia; Em 24 horas, foram confirmadas 13 mortes
02/12/2020 13:34 - Glaucea Vaccari


Número de casos novos de Covid-19 continua em disparada em Mato Grosso do Sul, com aumento também no número de internações e mortes, que vinha se mantendo estabilizado.

Secretária adjunta de Saúde, Christine Maymone, reforçou o apelo para que a população cumpra medidas preventivas para evitar colapso na Saúde.

"Isso é muito sério, a pandemia não acabou. Nem terminou a primeira onda e já começamos a segunda onda, estamos num entremeio, a primeira que nunca terminou e a segunda", disse, nesta quarta-feira (2).

Acompanhe as últimas notícias

Conforme boletim, nas últimas 24 horas foram confirmados 951 novos casos e 13 mortes. Média móvel é de 921,4 confirmações por dia e 7,3 óbitos diários.

Outro indicador preocupante, a taxa de ocupação de leitos, continua subindo.

“Nós não temos uma rotatividade do leito rápida, porque essa é uma especificidade dessa doença”, alertou Christine. 

São 488 pessoas internadas em leitos clínicos e de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) no Estado.

Conforme reportagem do Correio do Estado, hospitais particulares já estão lotados e há pacientes graves sendo atendidos no pronto atendimento das unidades. 

Total de casos confirmados desde o início da pandemia chega a 101.102, com 87.633 já recuperados e 11.676 ativos. 

Campo Grande continua sendo o epicentro da doença no Estado. Dos 951 novos casos, 423 são da Capital, seguida por Dourados, com 37, e Maracaju e Naviraí, com 38 novos casos cada. 

Quanto as mortes, são 1.793 no Estado. Das 13 novas, quatro vítimas eram de Campo Grande, duas de Naviraí e Vicentina e uma nos municípios de Camapuã, Corumbá, Fátima do Sul, Japorã e Ladário.

Com o aumento do contágio, a procura por testes também aumentaram nos drive-thrus do Corpo de Bombeiros e do disk covid e a capacidade será ampliada. Atualmente, 12 unidades de saúde realizam coleta dos testes RT-PCR.

" A princípio estamos verificando a viabilidade de mais 15 para totalizar 27. Vamos mais do que dobrar”, disse o coronel do Corpo de Bombeiros, Marcelo Fraiha.e.