Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORONAVÍRUS

Plano de contingência de coronavírus será apresentado até segunda-feira

Plano de contingência de coronavírus será apresentado até segunda
07/02/2020 15:43 - Clodoaldo Silva


A Secretaria de Estado de Saúde vai apresentar ao Ministério da Saúde até segunda-feira o plano de contingência para prevenir atender eventuais casos suspeitos do coronavírus em Mato Grosso do Sul. Este plano vai levar em consideração a estrutura existente, o número de leitos disponíveis e o fluxo de pessoas na fronteira com o Paraguai e Bolívia.

Na reunião do Ministro da Saúde Henrique Mandetta com secretários de saúde dos estados e das capitais realizada ontem em Brasília, o ministro disse o Governo federal vai gastar R$ 145 milhões na compra e envio para os estados de máscaras, gorros e outros materiais ou equipamentos necessário para evitar o contágio da doença. “Cada estado tem uma peculiaridade, tem um situação ímpar. Por isso é necessário o plano de contingência dos Estados até segunda-feira. Podemos fazer uma eventual crítica, ajustes” ressaltou Mandetta, explicando que a partir disso a pasta veria se é melhor centralizar a contra de insumos no ministério para reduzir preços que subiram por causa do fechamento das fronteiras da China para exportação.

De acordo com Mandetta, o país está se preparando considerando um cenário intermediário de casos no Brasil. O ministro afirmou que não há no horizonte, no momento, uma grande epidemia do vírus no país.

O secretário municipal de Saúde de Campo Grande, José Mauro Pinto de Castro Filho, enfatizou que é necessário haver “o fortalecimento da vigilância sanitária nas secretarias municipais” e que é preciso uma “definição do protocolo de casos suspeitos”.

Já para o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, disse que pelo fato do Estado fazer fronteira com o Paraguai e a Bolívia “isso vai fazer com que tenhamos conversas com países fronteiriços” e acredita que pela eficiência do SUS a população do Estado e das cidades da fronteira não corre risco de contaminação.

 

Felpuda


Apressadas que só, figurinhas tentaram se “apoderar” do protagonismo de decisão administrativa. Não ficaram sequer vermelhas quando se assanharam todas para dizer que tinham sido responsáveis pela assinatura de documento que, aliás, era uma medida estabelecida desde 2019. Quem viu o agito da dupla não pode deixar de se lembrar daquele pássaro da espécie Molothrus bonarienses, mais conhecido como chupim, mesmo. Afe!