Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

INSTITUTO ADOLFO LUTZ

Testes em pessoas com suspeita de coronavírus em MS ficam prontos nesta semana

Em Mato Grosso do Sul, nove pessoas estão sob monitoramento
02/03/2020 06:28 - Eduardo Miranda


 

A Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso do Sul informou neste domingo que os testes realizados nas amostras dos nove pacientes suspeitos de terem contraído o novo coronavírus em Mato Grosso do Sul ficarão prontos nesta semana. Todos os pacientes estão sendo monitorados em seus domicílios, sendo que oito deles estão em Campo Grande.  

As primeiras amostras feitas com os nove pacientes foram testadas no Laboratório Central de Mato Grosso do Sul (Lacen) e deram negativo para várias cepas da gripe e outras doenças respiratórias cujos vírus causadores já circulam no ambiente local. Agora são aguardados os resultados das amostras enviadas para o Instituto Adolfo Lutz, da Universidade de São Paulo.  

Dos nove casos suspeitos de novo coronavírus em Mato Grosso do Sul, sete são de pessoas que estiveram na Itália, um de uma jovem que viajou à Coreia do Sul, e outro de um rapaz, de Ponta Porã, que esteve na Tailândia, China e passou pela Alemanha. A maioria das suspeitas (oito) são de pessoas de Campo Grande.  

No fim de semana o Ministério da Saúde confirmou o segundo caso do novo coronavírus no Brasil. Trata-se de um rapaz de 32 anos, morador de São Paulo (SP), mesma cidade onde mora um homem de 61 anos, primeiro caso confirmado da doença no País. Ambos estiveram na Itália recentemente. Em todo o Brasil são monitorados 252 casos suspeitos da doença. 

Por causa do aumento de casos suspeitos, muitas pessoas estão buscando meios de prevenção, como o uso de máscaras e de ítens como álcool em gel. Na semana, em Campo Grande, algumas farmácias já não tinham estes produtos no estoque. 

Felpuda


Apressadas que só, figurinhas tentaram se “apoderar” do protagonismo de decisão administrativa. Não ficaram sequer vermelhas quando se assanharam todas para dizer que tinham sido responsáveis pela assinatura de documento que, aliás, era uma medida estabelecida desde 2019. Quem viu o agito da dupla não pode deixar de se lembrar daquele pássaro da espécie Molothrus bonarienses, mais conhecido como chupim, mesmo. Afe!