Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

BOLETIM DA COVID-19

Correção de casos em Campo Grande derruba números do boletim da covid-19

Apesar de inconsistência na base de dados em relação ao relatório de domingo, Capital chega a 500 mortes
21/09/2020 12:30 - Rodrigo Almeida


O boletim epidemiológico da Secretária de Estado de Saúde (SES) revelou 185 novos casos de Covid-19 e 7 mortes nas últimas 24 horas. Divulgado na manhã desta segunda-feira (21), a taxa de contágio teve um pequeno aumento.

De acordo com o secretário da SES, Geraldo Resende, “Campo Grande apresentou 365 novos casos de covid, mas como a secretaria do município informou que haviam 367 casos inconsistentes, o boletim veio com dois casos a menos [em relação ao apresentado no domingo, 20]”.

Outro número que mostrou retração, foi a média móvel de mortes. No domingo, a taxa estava acima de 15 casos por dia, hoje, no entanto, esse número caiu para 13,43.

Das sete mortes notificadas, três eram de residentes de Corumbá, dois de cidadãos de Campo Grande e dois de Três Lagoas. O registro negativo fica por conta da Capital, que com as duas notificações chega à marca de 500 óbitos.

Dentre os 185 casos, Dourados assumiu a posição de cidade com maior quantidade de novas infecções com 45. Corumbá, 42, Chapadão do Sul, 16, Anastácio, 13 e Rio Brilhantes, 11, fecham a lista das cidades mais afetadas.

Apesar de feita a correção do secretário Geraldo Resende afirma que é preciso a manter a preocupação principalmente pelo aumento da taxa de contágio.

Segundo ele, isso é reflexo de “aglomerações, festas, inconveniências do fim de semana”. Além disso, é preciso considerar a média de 35% dos exames coletados na Capital testarem positivo.

Mato Grosso do Sul ultrapassou a marca de 64 mil casos de covid-19, mais 28 mil só em Campo Grande. Dourados com 6788 e Corumbá com 3779 veem logo em sequência.

A taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) na Macrorregião de Corumbá caiu de 74 para 70% e a de Campo Grande subiu de 72 para 74%.

 
 

Felpuda


Ex-cabecinha coroada anda dizendo por aí ser o responsável por vários projetos para Campo Grande, executados posteriormente por sucessor. 

Ao fim de seus comentários, faz alerta para que o eleitor analise atentamente de como surgiram tais obras e arremata afirmando que não foi “como pó mágico de alguma boa fada madrinha. 

Houve muito suor nos corredores de Brasília”. Então, tá!...