Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

DURANTE PANDEMIA

Prefeito sugere suspensão de corte de energia; Energisa diz que decisão é nacional e está sendo debatida

Ontem, prefeito decretou suspensão do corte de água e parcelamento de dívida em 36 vezes sem juros
19/03/2020 15:27 - Glaucea Vaccari


 

Após determinar que a Águas Guariroba não faça cortes por 60 dias e parcele dívidas em 36 vezes sem juros, prefeito de Campo Grande Marcos Trad (PSD) afirmou, nesta quinta-feira (19), que só não faz o mesmo com a energia elétrica porque não é de competência do município. A Energisa, concessionária de energia de Mato Grosso do Sul, afirma, em nota, que as medidas a serem tomadas em meio a pandemia do coronavírus estão sendo discutidas em âmbito nacional.

“Todo o setor de energia está unido em diálogo aberto com o Ministério de Minas e Energia e a Aneel, para agir de forma estruturada, buscando o melhor para o país neste momento e garantindo que soluções para o setor sejam pensadas em âmbito nacional, abordando todas as suas variáveis e implicações.”, diz a nota.

Devido a recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e Ministério da Saúde de que a população fique em casa para evitar o contágio, o consumo de energia e água tende a aumentar.

Conforme a Energisa, a empresa reconhece que o fornecimento de energia é ainda mais essencial neste momento e que a empresa tem planos de contingência para garantir o fornecimento de energia elétrica e atender eventuais emergências. 

Clientes estão sendo orientados a entrarem em contato por meios digitais, que não necessitam de deslocamento até unidades, como WhatsApp, aplicativo e o site da concessionária, para proteger a saúde dos colaboradores e população.

Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee) também emitiu comunicado, onde afirma que as concessionárias estão buscando soluções perante a atual situação, mas que “para que o equilíbrio econômico e financeiro do setor não seja afetado, é necessário que medidas que desnaturem as bases dos serviços concedidos de distribuição de energia elétrica não prosperem”.

Conforme a Abrade,”o fluxo de recebimentos das faturas de energia compostas, custos de distribuição, parcelas de geração, transmissão, encargos e tributos estaduais e federais , que juntos somam mais de 80% da conta de luz, não pode ser interrompido, sob pena de inadimplência generalizada em todos os elos mencionados, especialmente para a arrecadação tributária aos Estados da União que contam com esses recursos, via tarifa, inclusive para suas ações na área de saúde .

Por fim, a associação afirma que qualquer medida de desoneração aos consumidores só pode ser implementada com análise do poder concedente e regulador, por questões constitucionais, e que necessitam de arranjo legal de todos os segmentos envolvidos, que vão dos geradores e transmissores até os governos federal e estadual.

* Colaborou Bruna Aquino

 

Felpuda


Na troca de alfinetadas entre partidos que não se entenderam até agora sobre eventual aliança, uma outra peça está surgindo: trata-se do levantamento completo sobre investimentos feitos, recursos liberados, parcerias em todas as áreas, além do prazo de quando tudo isso começou. Caso os palanques venham a ficar distanciados, a divulgação será feita à exaustão durante a campanha eleitoral, para mostrar quem é quem na história. Os bombeiros continuam atuando.