Clique aqui e veja as últimas notícias!

PANDEMIA

Suspensão do corte de água por falta de pagamento é prorrogada na Capital

Prefeitura prorrogou a proibição da interrupção do serviço para inadimplentes devido à pandemia
15/01/2021 12:26 - Glaucea Vaccari


Corte no fornecimento de água por inadimplência continua proibido por mais 15 dias em Campo Grande.

Decreto com a prorrogação da proibição de corte do serviço foi publicado na edição desta sexta-feira (15) do Diário Oficial do Município.

Últimas notícias

Cortes de água e esgotamento sanitário estão suspensos desde a segunda quinzena de março de 2020, devido à pandemia do coronavírus e, desde então, a proibição já foi prorrogada por várias vezes.

A nova prorrogação tem efeito retroativo, valendo a partir do dia 1º de janeiro, sendo a suspensão do corte dos serviços válida até o dia 15 deste mês, podendo ser novamente prorrogada ao fim desse prazo.

Com a prorrogação, a concessionária Águas Guariroba não pode interromper o serviço de fornecimento de água dos consumidores inadimplentes.  

No entanto, não há perdão da dívida, ou seja, o consumidor que não pagar o serviço não terá a água cortada durante o período, mas acumulará a dívida, que continuará sendo cobrada.

Decreto estabelece que as contas vencidas durante o período de vigência da determinação poderão ser parceladas posteriormente em até 36 vezes, sem cobrança de juros e correção monetária.  

Conforme a prefeitura, a medida tem objetivo de minimizar prejuízos causados pela pandemia do coronavírus aos moradores.

Coronavírus

O município de Campo Grande está no grau de risco alto do coronavírus, classificado em bandeira vermelha.

Até esta sexta-feira (15), a Capital soma 65.392 casos confirmados de Covid-19, com 1.197 mortes em decorrência da doença.

Só nas últimas 24 horas, foram 444 casos novos e 9 mortes. Taxa de letalidade é de 1,8%.

Ocupação global de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) pelo Sistema Único de Saúde (SUS) é de 80% em Campo Grande.

Em todo o Estado, são 148.415 casos, com 133.167 já recuperados, 12.001 em isolamento domiciliar, 599 internados e 2.648 óbitos.