Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PANDEMIA

Covid-19 afastou 21 profissionais da saúde em MS

Entre os trabalhadores da segurança pública, 33 PMs também foram afastados
21/04/2020 17:50 - Adriel Mattos, Natalia Yahn


Doença causada pelo novo coronavírus, a Covid-19 forçou o afastamento de 21 profissionais de saúde em Mato Grosso do Sul. Eles estão entre os 173 pacientes que contraíram o vírus no Estado.

Por apresentarem algum tipo de sintoma, os trabalhadores precisaram ser afastados por medidas de segurança, após terem contato com pessoas que testaram positivo para o novo coronavírus. A Secretaria de Estado de Saúde (SES) não informou se esses profissionais estão em quarentena, internados ou já se recuperaram.

Outro grupo de trabalhadores essenciais também afetado é o de profissionais da segurança pública, como noticiou o Correio do Estado na segunda-feira (20). Pelo menos 33 policiais militares de Mato Grosso do Sul são tratados como casos suspeitos.  

Outros 12 policiais civis de Miranda - cidade no oeste do Estado - tiveram que fazer o teste após dois presos que foram transferidos para São Paulo apresentarem sintomas e terem a doença confirmada. A Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) informou que o teste do grupo de policiais - o delegado, dez investigadores, uma escrivã, além de três servidores administrativos (somando total de 15 pessoas) - deu resultado negativo. E até agora nenhum policial civil na Capital ou no interior foi afastado em razão da Covid-19.

DADOS

Ontem, a SES notificou a sexta morte em decorrência do novo coronavírus. É de um idoso de 87 anos que faleceu em Três Lagoas, e era portador de diabetes e hipertensão. Esta é terceira morte sem vínculo, ou seja, não se sabe onde a vítima contraiu o vírus.

Outros dois casos foram confirmados: uma idosa de 89 anos de Chapadão do Sul e uma mulher de 31 anos em Campo Grande. No total, 173 pessoas já foram diagnosticadas com Covid-19.

Entre eles, 70 pacientes não apresentam mais sintomas e já estão recuperados. Outros 60 ainda cumprem isolamento domiciliar, 21 estão internados, 16 já receberam alta e seis morreram.

 

Felpuda


Questão de família acabou descambando para o lado da política, e a confusão já é do conhecimento público. 

A queda de braço tem como foco a troca de apoio político que, de um, foi para outro. Sem contar as ameaças de denúncia da figura central do imbróglio. 

A continuar assim, há quem diga que nenhum dos dois candidatos a vereador envolvidos na história conseguirá ser eleito. Barraco é pouco!