Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO

Covid-19: taxa de letalidade cresce diariamente, diz secretário

No total, Mato Grosso do Sul tem 228 mortes e mais de 16 mil casos
20/07/2020 12:14 - Adriel Mattos


Mato Grosso do Sul registrou seis novas mortes por Covid-19 (doença causada pelo novo coronavírus) nas últimas 24 horas. Os dados constam no boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) na manhã desta segunda-feira (20).

“Temos até 228 óbitos, que dá uma taxa de letalidade 1,4%. Mostra que esse índice está crescendo dia após dia”, alertou o titular da SES, Geraldo Resende, durante transmissão ao vivo do Governo do Estado na rede social Facebook.

O secretário lamentou a morte do pediatra Feliciano Corrales Lopes, na noite de domingo (19) em Dourados. Esse óbito não foi contabilizado no boletim de hoje.

“Era um amigo, que estava sempre no meu gabinete quando fui deputado federal. Estava internado há 20 dias e atendia na UPA [Unidade de Pronto Atendimento] e no sistema prisional”, disse.

 
 

Dados gerais

Hoje, Mato Grosso do Sul chegou a 16.637 casos. Entre ontem e hoje, mais 234 casos foram confirmados.  

Desses novos casos, 162 foram registrados em Campo Grande, 18 em Aquidauana, 12 em Três Lagoas, oito em Naviraí, sete em Rio Brilhante e seis em Deodápolis.

Amambai e Ribas do Rio Pardo confirmaram quatro casos cada. Corumbá registrou mais três casos e Dourados mais dois.

E Caarapó, Itaquiraí, Jaraguari, Jardim, Nioaque, Nova Andradina, Paranhos, Ponta Porã, Sidrolândia e Terenos confirmaram um caso cada.

Procedimento que já é comum, Ivinhema e Mundo Novo eliminaram um caso cada da base de dados.  

Isso acontece quando as autoridades locais identificam que o paciente apenas recebe atendimento na cidade e reside em outro local.

Mais 434 pessoas se recuperaram da Covid-19, totalizando 11.299. 348 pacientes estão internados, sendo 185 em leitos clínicos e 168 em Unidades de Terapia Intensiva (UTI). Portanto, em 24 horas, sete pessoas receberam alta no Estado.  

Há ainda cinco pacientes de outros estados sendo tratados em Mato Grosso do Sul, mas não contabilizados oficialmente pela SES.

Dessas 185 pessoas em leitos clínicos, 117 estão em leitos públicos. Outras 66 estão em hospitais privados, e dois paulistas ocupam vagas em unidades particulares.

Entre os 168 internados em UTI, 104 ocupam leitos públicos e 64 pessoas estão em hospitais privados. Com isso, a taxa de ocupação de leitos clínicos públicos é de 30% e dos de UTI é de 65%. Não há crianças internadas com Covid-19.

Atualmente, o Estado tem 737 leitos clínicos para adultos e 119 para crianças, além de 225 em UTIs adultas e sete para crianças disponíveis para usuários do Sistema Único de Saúde (SUS).

Considerando o total geral de leitos e internações por outras doenças, a macrorregião de Campo Grande está com 84% dos leitos ocupados. São 227 unidades, sendo 44% com pessoas com outras doenças, 30% contaminados pelo vírus e 10% com suspeita.

A macrorregião de Corumbá está com 63% da capacidade ocupada. Dos 22 leitos, 36% tem pacientes diagnosticados com Covid-19, 18% com outras doenças e 9% que estão com suspeita de terem contraído o novo coronavírus.

A região de Três Lagoas tem 58% de leitos ocupados, de um total de 35. E a macrorregião de Dourados tem 111 leitos e 55% estão ocupados.

 
 

Mortes

Nas últimas 24 horas, foram registradas seis mortes causadas pela doença. No sábado (18), uma idosa de 71 anos faleceu em Campo Grande. Ela não tinha comorbidades.

Ontem, uma mulher de 43 anos morreu em São Gabriel do Oeste, portadora de doença renal crônica. Na Capital, faleceu uma mulher de 51 anos, asmática e com doença cardiovascular crônica.

Outra idosa de 71 anos morreu em Campo Grande no domingo, também sem nenhuma doença relatada. Diabético, um homem de 55 anos veio a óbito ontem.

Por fim, uma mulher de 48 anos morreu em Aral Moreira. Ela lutava contra um câncer e tinha doença cardiovascular crônica.

O Estado já tem 228 mortes pela doença. Foram 66 em Campo Grande, 49 óbitos em Dourados (sendo 1 que morreu em Tocantins) e 21 em Corumbá.

Há ainda 9 mortes em Três Lagoas, 5 em Naviraí, 5 em Ponta Porã, 5 em Sidrolândia e 4 em Itaporã.

Anastácio, Batayporã, Cassilândia, Fátima do Sul, Guia Lopes da Laguna, Itaquiraí, Nova Andradina, Paranaíba, Rio Brilhante e São Gabriel do Oeste registraram 3 óbitos cada.

Vicentina tem duas mortes, sendo uma ocorrida no estado de São Paulo.Alcinópolis, Amambai, Aparecida do Taboado, Aquidauana, Brasilândia, Costa Rica, Coxim, Douradina, Ladário e Mundo Novo também tem dois óbitos cada.

E Maracaju, Miranda e Sonora registraram uma morte cada.

 

Felpuda


Na troca de alfinetadas entre partidos que não se entenderam até agora sobre eventual aliança, uma outra peça está surgindo: trata-se do levantamento completo sobre investimentos feitos, recursos liberados, parcerias em todas as áreas, além do prazo de quando tudo isso começou. Caso os palanques venham a ficar distanciados, a divulgação será feita à exaustão durante a campanha eleitoral, para mostrar quem é quem na história. Os bombeiros continuam atuando.