Cidades

PROTEÇÃO

Crianças nos abrigos lidam melhor com situação que adultos, diz psicóloga

Crianças nos abrigos lidam melhor com situação que adultos, diz psicóloga

AGÊNCIA BRASIL

23/01/2011 - 02h30
Continue lendo...

Isabele Benvindo Zeferino tem sete anos e passa o dia brincando com os amigos da mesma idade. Brincadeiras de roda, bambolê, futebol, esconde-esconde e pintura são algumas das diversões. Seu sonho, como o de muitas crianças, é ganhar uma bicicleta.

A história da pequena Isabele seria comum à de qualquer outra se não fosse o drama que vive há dez dias. Vítima da tragédia que atingiu a região serrana do Rio de Janeiro, Iela está alojada, ao lado da mãe, da irmã e mais 200 desabrigados, no galpão da fábrica de Bebidas Comari, no bairro Meu Dom, em Teresópolis.

Com um bambolê doado nas mãos, Isabele conta que apesar de dividir o lugar com desconhecidos, não gostaria de voltar ao local onde morava, no bairro Salaco. “Aqui está bom. Não quero voltar para casa porque saímos de lá de madrugada, no escuro, descalça. Estava chovendo e ficamos em uma garagem. Senti medo”.

A psicóloga da prefeitura de Teresópolis, Fernanda Delgado, que está trabalhando na atenção aos desabrigados do alojamento, explicou à Agência Brasil que as crianças conseguem lidar melhor do que os adultos com a situação. No entanto, principalmente à noite, elas demonstram insegurança pela mudança radical na rotina.

“As crianças conseguem administrar melhor porque se sentem em um grande parque de diversões. Não têm consciência da realidade. Algumas, quando vão embora, até choram”, disse a psicóloga.  “Aqui, elas recebem carinho, brinquedos, atenção. Em alguns casos, apresentam sintomas de estresse pós-traumático, com enurese noturna, quando vão muito ao banheiro; têm tremedeiras e choro aparentemente sem motivo”, acrescentou.

A falta de privacidade é o principal problema enfrentado pelos adultos. “A gente não pode reclamar, até porque todos estão nos tratando muito bem, mas é complicado ter que fazer tudo ao lado de quem a gente não conhece”, afirmou Sandra Lourenço que desde domingo está no abrigo acompanhada da filha, do genro e de dois netos.

Fernanda Delgado disse que é preciso conversar com os desabrigados para confortá-los e passar o sentimento de acolhimento. “Já na acolhida, a gente demonstra carinho e tenta suprir a falta que eles têm.” Em alguns casos, voluntários e agentes da prefeitura têm que intermediar pequenos conflitos familiares e outros desentendimentos.

“Os mesmos problemas que as pessoas têm em casa, elas têm aqui. Discussão de marido e mulher, a gente tenta apaziguar os ânimos que já estão mais à flor da pele devido à tragédia”, acrescentou Fernanda.

Nas paredes do abrigo, crianças e adultos manifestam o sentimento de perda. Em alguns desenhos feito à mão, figuras de casas, jardins com flores e dias de sol. Também há frases de agradecimento e de esperança. “O que mais desejo é ter minha casa de volta com meus filhos”, diz o recado de um desabrigado, colado na parede. “Todos aqui nos tratam muito bem, graças a Deus. Mas quero ir para minha casa”, está escrito em outro mural.

De acordo com a prefeitura, em Teresópolis cerca de 800 pessoas estão alojadas em abrigos. Essas pessoas começaram nessa sexta-feira (21) a ser cadastradas no programa Aluguel Social. A partir de segunda (24), aqueles que estão alojados em casas de parentes ou amigos poderão se inscrever.

O benefício será no valor de R$ 500,00, por 12 meses. O aluguel social será pago pela Caixa Econômica Federal, por meio do cartão do Bolsa Família ou conta corrente simplificada aberta nas agências do banco nos municípios atingidos.
 

Cidades

Número de inscritos para o Enem em MS aumentou 37% em 2024

Neste ano, mais de 65 mil estudantes devem fazer a prova no Estado

16/06/2024 18h00

Criado em 1998, o Enem avalia o desempenho escolar dos estudantes ao término da educação básica e também é a principal porta de entrada para a educação superior no país.

Criado em 1998, o Enem avalia o desempenho escolar dos estudantes ao término da educação básica e também é a principal porta de entrada para a educação superior no país. Divulgação

Continue Lendo...

Mais de 5 milhões de estudantes de todo o Brasil se inscreveram para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2024, quantidade que supera as últimas edições. Em Mato Grosso do Sul, não poderia ser diferente: os 66.099 inscritos representam um aumento de 37% em comparação com a edição passada, quando 47.457 estudantes estavam inscritos para a prova.

As inscrições foram encerradas nesta sexta-feira (14), após terem sido prorrogadas em uma semana. O prazo para o pagamento da taxa encerrará na próxima quarta-feira, 19 de junho.

Já a quantidade de inscritos foi divulgada pelo Ministério da Educação (MEC) e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) no último sábado (15).

O Enem é a principal porta de entrada para o ensino superior. As provas serão aplicadas nos dias 3 e 10 de novembro. O edital completo pode ser acessado clicando aqui.

Números Nacionais

O Ministério da Educação (MEC) e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) registraram 5.055.699 inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2024. O número ainda pode aumentar porque o governo federal vai garantir um período extra para os moradores do Rio Grande do Sul se inscreverem, entre 16 e 21 de junho.

Mais da metade dos inscritos (2.731.757) não vai precisar pagar a taxa de inscrição porque teve a solicitação de isenção aprovada. Os concluintes, ou seja, aqueles que estão na última série do ensino médio, correspondem a 1.655.721 inscritos, sendo que 1.330.364 inscrições desse grupo foram gratuitas; e 325.357 deverão ser pagas. 

Segundo o MEC, o balanço com os dados de inscritos confirmados e do perfil do participante do Enem 2024 será divulgado após a compensação de todos os pagamentos efetuados para as solicitações sem isenção da taxa. 

Confira a quantidade de inscritos por estado:   

Estado  Número de inscritos 
Acre (AC)  33.362 
Alagoas (AL)  106.194 
Amapá (AP)  38.314 
Amazonas (AM)  122.791 
Bahia (BA)  449.528 
Ceará (CE)  279.054 
Distrito Federal (DF)  94.683 
Espírito Santo (ES)  88.573 
Goiás (GO)  180.131 
Maranhão (MA)  210.647 
Mato Grosso (MT)  84.657 
Mato Grosso do Sul (MS)  65.099 
Minas Gerais (MG)  463.722 
Pará (PA)  300.983 
Paraíba (PB)  149.663 
Paraná (PR)  209.924 
Pernambuco (PE)  275.543 
Piauí (PI)  125.815 
Rio de Janeiro (RJ)  352.777 
Rio Grande do Norte (RN)  119.088 
Rio Grande do Sul (RS)  259.936 
Rondônia (RO)  48.469 
Roraima (RR)  16.455 
Santa Catarina (SC)  110.553 
São Paulo (SP)  747.094 
Sergipe (SE)  80.918 
Tocantins (TO)  41.726 

Taxa de inscrição

O participante que não é isento deve pagar a taxa (R$ 85) até a próxima quarta-feira, 19 de junho, respeitando os horários de compensação bancária. O pagamento é feito por meio de boleto do Banco do Brasil, que é disponibilizado ao inscrito após acesso ao sistema do exame, via Login Único do Gov.br.

Enem

O Exame Nacional do Ensino Médio avalia o desempenho escolar dos estudantes ao término da educação básica. Ao longo de mais de duas décadas de existência, o Enem tornou-se a principal porta de entrada para a educação superior no Brasil, por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e de iniciativas como o Programa Universidade para Todos (Prouni).

Instituições de ensino públicas e privadas utilizam o Enem para selecionar estudantes. Os resultados são usados como critério único ou complementar dos processos seletivos, além de servirem de parâmetros para acesso a auxílios governamentais, por exemplo o proporcionado pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Os resultados individuais do Enem também podem ser aproveitados nos processos seletivos de instituições portuguesas que possuem convênio com o Inep para aceitar as notas do exame. Os acordos garantem acesso facilitado às notas dos estudantes brasileiros interessados em cursar a educação superior em Portugal.

Cronograma de aplicação e resultado

  • Dias de provas: 3 e 10.nov
  • Solicitação de reaplicação: 15.nov às 11h
  • Reaplicação das provas: 10 e 11.dez
  • Divulgação do gabarito: 20.nov
  • Divulgação do resultado final: 13.jan.2025

Assine o Correio do Estado

Meio Ambiente

Empreiteiras invadem e desmatam área de preservação ambiental em Campo Grande

Empreiteiras Anfer e Drenacom arrombaram cerca da APP do Lageado, derrubaram mata para abrir estrada, e ainda depositaram resíduos no local; investigação foi aberta

16/06/2024 17h31

Empreiteira invadiu área pública de preservação e ainda abriu derrubou a mata para abrir uma estrada

Empreiteira invadiu área pública de preservação e ainda abriu derrubou a mata para abrir uma estrada Reprodução

Continue Lendo...

A invasão de um terreno público pertencente à Prefeitura de Campo Grande, em Área de Preservação Permanente (APP) do Córrego Lageado, e o desmatamento de parte da mata desta APP levaram o Ministério Público de Mato Grosso do Sul a abrir inquérito para investigar as empreiteiras Anfer e Drenacom, que atuam em obra de loteamento na área vizinha ao desmatamento.

A investigação teve origem em flagrante realizado pela Superintendência de Fiscalização e Gestão Ambiental da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana (Semadur). A primeira constatação do desmatamento ilegal foi feita no dia 21 de fevereiro deste ano.

Um trator de esteira da empresa Drenacom, a serviço da empreiteira Anfer, que constrói um loteamento na região, rompeu a cerca de alambrado da área de preservação ambiental e estava abrindo uma estrada na área pública, no espaço onde estava localizada uma mata.

Empresa rompeu alambrado da APP e tinha intenção de fazer a drenagem de loteamento em área de preservação

“Verificou-se a existência da abertura da mata APP, com implantação de uma estrada ilegal, percorrendo toda a APP do Córrego Lageado”, descrevem os fiscais ambientais no documento que embasa a abertura de inquérito civil pela Promotoria de Meio Ambiente de Campo Grande. A estrada tem uma largura de aproximadamente três metros.

“A estrada ilegal, percorrendo toda a APP do Córrego Lageado, deixou vestígios de inúmeras árvores derrubadas e vestígios de deposição de resíduos de construção civil para aterramento da estrada”, acrescentam os fiscais, em documento da Semadur.

Ao serem abordados pelos fiscais, os homens que operavam as máquinas afirmaram que faziam um trabalho de drenagem para a implantação de lote urbano residencial.

Depósito ilegal

Após a vistoria, também foi verificado que parte da área de preservação ambiental está degradada por resíduos sólidos da construção civil, sendo usada como depósito desses resíduos.

Todo o trabalho citado acima foi executado sem qualquer licença ambiental e de operação.
Para piorar, há um morador dentro da APP do Lageado, que reivindica a área do município. Não foram encontrados, contudo, processos indicando tal litígio.

Manancial

A Área de Preservação Permanente do Córrego Lageado (APP do Lageado) é um dos mananciais de Campo Grande. O Córrego Lageado, juntamente com o Córrego Guariroba e dezenas de poços artesianos, são a origem da água potável encanada distribuída pela concessionária Águas Guariroba na Capital.
 

Assine o Correio do Estado

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).