Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORONAVÍRUS

Crianças também devem usar máscaras, diz infectologista

Uso é obrigatório desde junho na Capital e no Estado e desde julho em todo o Brasil
18/07/2020 17:40 - Adriel Mattos


Não só os adultos, mas as crianças também devem usar máscaras de proteção contra a Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. A utilização é obrigatória em todo o Brasil desde julho.

Antes disso, a prefeitura de Campo Grande e o governo de Mato Grosso do Sul já haviam tomado a mesma medida. O item pode ser descartável ou fabricado artesanalmente.

Porém, a infectologista pediátrica da Unimed Campo Grande, Carolina Martins Neder, explica que crianças menores de 4 anos não devem usar.  

“Elas  têm maior propensão a tirar e colocar as mãos no item, já que não conseguem entender o que está havendo, por isso, para essas crianças, o ideal é não sair de casa, pois não estarão protegidas”, apontou.

Já os maiores de 4 anos precisam entender a importância do uso desse item. “Elas já conseguem entender tudo que está acontecendo no mundo, sabem que está todo mundo diferente”, disse Carolina.

A especialista recomenda que os pais sejam criativos para incentivar a utilização da máscara.

“Devem tentar colocar alguma máscara com bichos, estampas legais ou que combinem com a roupa, para chamar atenção da criança e facilitar o uso do item”, afirmou.

A infectologista ressalta ainda que a máscara é essencial para todos a fim de evitar o contágio.

“Se a pessoa que tem o vírus, está de máscara, ela evita a propagação desse vírus. Já a pessoa que está com a máscara, e não tem o vírus, também se protege ao ter contato com alguém que tem a doença. Como esse vírus é novo, somente o uso de máscara, e a lavagem correta, e com frequência, das mãos”, finaliza.

 
 

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.