Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PANDEMIA

Milhares de fiéis evangélicos se aglomeram para orar contra o coronavírus

Aglomeradas, muitas famílias lotaram calçadas e canteiros nos altos da avenida Afonso Pena
19/04/2020 18:15 - Bruna Aquino


 

Mesmo em tempos de pandemia e o relaxamento do isolamento social, milhares de cristãos das igrejas evangélicas de Campo Grande saíram de suas quarentenas pessoais e se reuniram neste domingo (19) em oração profética a favor da nação e contra a disseminação do novo coronavírus. O movimento foi organizado pelo Conselho Municipal de Pastores da Capital.

Foi por volta das 16h, famílias com bandeiras do Brasil se aglomeraram nos altos da Avenida Afonso Pena lotando canteiros, calçadas e muitos de joelhos no asfalto fizeram suas orações e cantaram louvores a Deus por cerca de uma hora.

Devido a grande quantidade de pessoas, o trânsito em uma das avenidas mais movimentadas da Capital ficou congestionado por mais de 20 minutos e muitos cristãos não conseguiram chegar a tempo. Foram necessárias várias viaturas da Polícia Militar para controlar o trânsito e equipes da Guarda Metropolitana para fazer a segurança do local.

Mesmo após o período de oração, pessoas continuaram cantando canções e hinos evangélicos e se negaram a sair do local mesmo a pedido da organização.

Luciana Arroyo é pastora da igreja Família de Jesus e disse a reportagem do Correio do Estado que o movimento realizado dentro da lei é um “clamor” a Deus pelo Brasil. “O nosso país está em um momento difícil e cremos que Jesus pode fazer algo por nós, é algo maravilho, pessoas clamando ao Senhor”, disse.

 
 

Questionado sobre a intensa aglomeração de pessoas reunidas em um mesmo lugar, a pastora disse que foi orientado a todos o distanciamento mínimo “Nós somos cristãos estamos aqui para cumprir a lei, não fazemos nada que possa ser visto como errado”, explicou.

Moisés Matos, de 46 anos, é membro da igreja Comunidade Atos e foi a oração com o amigo. Ele destacou a importância desse ato como uma aproximação maior de Deus. “A gente precisa colocar nosso país diante de Deus, porque ele vai derramar a cura contra esse vírus e também no nosso meio político que está um caos”, disse.

O agricultor Neuri Modesto, de 52 anos, acredita que a última palavra vem de Jesus. “Quando o povo clama é atendido, para que haja cura e restauração na nossa Pátria”, contou.

Margarita Marbelo veio de Ponta Porã visitar a filha e aproveitou para participar da oração. “As pessoas precisam buscar mais a Deus, ter amor por outras pessoas, para nos fortalecer disso que estamos vivendo, Deus vai nos abençoar e nos livrar de todo mal, em nome de Jesus”, finalizou.

Além das orações, a organização também recolheu alimentos não perecíveis em dois carros para ajudar pessoas em situação de vulnerabilidade por conta da pandemia.

 
 
Milhares de cristãos se reúnem em oração contra o coronavírus - Bruna Aquino/Correio do Estado

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.