Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ESTUDO

Curado, senador Nelson Trad doa plasma para pesquisa de tratamento da Covid-19

Estudo trabalha hipótese que plasma ajuda pacientes graves a desenvolver anticorpos
18/06/2020 18:01 - Glaucea Vaccari


 

Senador Nelson Trad Filho, curado da Covid-19, doou 600 ml de plasma sanguíneo, nesta quinta-feira (18), no Hemosul em Campo Grande, para pesquisa de tratamento de pacientes em estado grave infectados pelo coronavírus.

Trad Filho foi diagnosticado com a doença em março, após voltar de comitiva presidencial que viajou aos Estados Unidos. Ele chegou a ficar um período internado, mas se recuperou.

"Soube da coleta e entrei em contato para fazer a doação. É um ato de solidariedade, como um doador de órgão. Imagina se a partir do meu sangue, eu salvo a vida de um paciente com covid? É maravilhoso! Eu sei o que é a gravidade dessa doença e faço questão de colaborar", disse o senador, nesta quinta.

Coleta de plasma de pessoas curadas começou na segunda-feira (18). O estudo pretende avaliar o impacto da transfusão de plasma de pacientes recuperados (convalescente) da Covid-19 em pacientes com quadro clínico grave dessa doença e vai trabalhar com a hipótese de que a transfusão de plasma de doador convalescente poderá resultar em evolução clínica mais favorável e aumentar a taxa de sobrevida de indivíduos com acometimento grave pela doença.  

No Estado, 120 pessoas que contraíram a doença e passaram pela triagem serão submetidas à pesquisa. O primeiro a doar o plasma foi o cantor Mariano, da dupla com Munhoz, e o senador Nelson Trad é o segundo.  

“Esse Covid entrou para o meu currículo e, hoje, sou grato a Deus pela minha recuperação e quero poder ajudar a encontrar o mais rápido possível a cura”, disse Trad Filho.

Antes de ser encaminhado ao paciente em tratamento com Covid-19, o plasma será submetido a testes de anticorpos. Caso o sangue tenha bons anticorpos, o doador pode ser chamado a fazer mais doações.  

Para essa experiência, 40 pacientes, internados no Hospital Regional e do Hospital Universitário com estágio grave da doença, serão testados e comparados com outros 80 pacientes com características e gravidade clínica semelhante.  

De acordo com o Hemosul, podem doar plasma: homens e mulheres entre 18 e 80 anos; mulheres sem histórico de gestação; pesando no mínimo 60 kg; e somente 14 dias após estar curado e sem sintomas.  

O número (67) 99212-0447, exclusivo para whatsapp, está disponível para os sul-mato-grossenses curados da Covid-19 que queiram participar dos estudos. Pesquisa é encabeçada pela USP de Ribeirão Preto - Hemocentro Ribeirão Preto, em parceria com a Rede Hemosul MS e Fiocruz MS.  

 

Felpuda


Como era de se esperar, as pesquisas mexeram nos ânimos de candidatos, principalmente daqueles que apareceram com índices pífios.

E assim, muitos deles certamente darão novo rumo às suas campanhas eleitorais.

A maioria, é claro, tenta mostrar otimismo, e o que mais se ouve por aí é que “agora o momento será de virada”.

Como disse atento e irônico observador: “Tem gente por aí que poderá virar, sim. Mas virar gozação!”. Ui...