Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

LÍNGUA COTIDIANA

UEMS oferta curso de português online gratuito para migrantes internacionais

Inscrições podem ser realizadas até o 6 de setembro, falta de documentos não será impeditiva
06/08/2020 13:33 - Gabrielle Tavares


A Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) vai ofertar curso online e gratuito sobre práticas da língua portuguesa para migrantes internacionais.  

Segundo o Programa UEMS Acolhe, responsável pelo curso, as aulas vão abordar práticas sociais brasileiras cotidianas, a partir da introdução de um repertório gramatical.

Todos os migrantes internacionais podem ter acesso ao curso. Falta de documentos, a situação migratória ou a nacionalidade não serão problemas na hora da inscrição.

As aulas serão repassadas através de mensagens pelo aplicativo Whatsapp, e-mail e a plataforma de videoconferência Microsoft Teams.

São três opções de níveis de conhecimento, cada um deles será trabalhado ao longo de 12 semanas:

  • Módulo Acolhimento 1: recomendado para migrantes internacionais recém-chegados, que possuem pouco conhecimento da língua portuguesa.
  • Módulo Acolhimento 2: indicado para migrantes internacionais que já possuem algum conhecimento da língua portuguesa.
  • Produção Oral e Escrita: voltado para migrantes internacionais com bom domínio da língua e que gostariam de aprimorar ainda mais seus conhecimentos.

Inscrições  

As inscrições terminam no dia 6 de novembro. É necessário enviar o nome completo, telefone para contato e uma cópia de um documento de identificação para o e-mail uemsacolhe@uems.br.  

As aulas terão início no dia 8 de setembro, com carga horária de 40h. De acordo com a coordenação do Programa UEMS Acolhe, não serão abertas outras novas turmas para o curso em 2020.

 
 

Felpuda


Figurinha está trabalhando intensamente para tentar eleger a esposa como prefeita de município do interior.

Até aí, uma iniciativa elogiável. Uns e outros, porém, têm dito por aí que seria de bom tom ele não ensinar a ela, caso seja eleita, como tentar fraudar folha de frequência de servidores. 

Afinal, assim como ele foi flagrado em conversa a respeito com outro colega, não seria nada recomendável e poderia trazer sérias consequências. Só!