Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

COMBATE À COVID-19

De 17 respiradores do Regional estragados, seis estão em testes no IFMS

Além de outros cinco do hospital da Capital, Senai vai recuperar 70 de instituições do interior
03/04/2020 16:32 - Adriel Mattos, Súzan Benites


 

Seis respiradores do Hospital Regional de Mato Grosso do Sul Rosa Pedrossian (HRMS), em Campo Grande, passam por manutenção e estão sendo testados por pesquisadores do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS). O hospital enviou 17 equipamentos para a instituição e outros cinco para o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai).

“São equipamentos antigos, e esperamos reaproveitar peças para fazer funcionar alguns”, destacou a diretora-presidente do HRMS, Rosana Leite de Melo. Os respiradores serão usados para pacientes com suspeita ou confirmados para Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

Segundo o IFMS, peças serão realmente reaproveitadas em outros equipamentos, já que não há como repor. Um acordo de cooperação está para ser assinado para formalizar a parceria entre as instituições.

RECUPERAÇÃO

Além desses cinco respiradores do HRMS, o Senai vai recuperar 65 equipamentos de todo o Estado. São 25 locais em todo o País e 13 estados que participam da ação integrada dos Departamentos Regionais do Senai. Em  Mato Grosso do Sul, a ação é realizada em parceria com o Governo do Estado e a Energisa, que ficarão responsáveis por levantar os respiradores que estão sem uso e por fazer o transporte desses equipamentos até o Senai de Campo Grande.

De acordo com o presidente da Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul (Fiems), Sérgio Longen, o Senai já tem uma expertise de mais de 70 anos na área de manutenção e esse é o momento de colocar suas capacidades à disposição para ajudar no combate a essa crise. “A instituição está se mobilizando, assim como as outras Casas que integram o Sistema Indústria, para dar uma resposta a essa crise. Entendo que esse é o momento de não medirmos esforços para encontrar soluções para ajudar no enfrentamento ao novo coronavírus”, afirmou.

 

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.