Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

COVENGUE

Delcídio voltou para hospital por causa de dengue

Hospital onde ex-senador está internado disse que em relação à Covid-19, Delcídio está bem
29/07/2020 10:16 - Gabrielle Tavares


O ex-senador Delcídio do Amaral (PTB) permanece internado depois apresentar desidratação causada pela dengue, segundo o Hospital Cassems de Campo Grande.  

Delcídio havia recebido alta e estava em casa desde sábado (25). Ontem (28), três dias depois, ele retornou ao hospital para fazer uma nova avaliação depois de relatar não ter sentido melhoras nos sintomas da dengue e Covid-19.

“Em relação à Covid-19 ele está bem, porém, em relação à dengue apresenta um quadro leve de desidratação. Por esse motivo, permanecerá no hospital em observação e hidratação com soro”, divulgou, em nota, o hospital onde o ex-senador está internado. 

Em sua página do Facebook, o ex-senador publicou na terça-feira que teve febre e sintomas de desidratação.

 “O 'ioiô' dos sintomas resolveu ficar parado de ontem para hoje e não melhorei. Não adianta teimar! Estou voltando para o hospital", anunciou no fim da manhã de ontem.

Conhecido nacionalmente por ser a liderança governista do PT no Congresso durante a gestão de Dilma Rousseff, Delcídio teve seu mandato de senador cassado, mas depois foi inocentado de algumas das acusações as quais respondia. Ele agora é presidente regional do PTB.

"Não subestimem a covid-19 nem a dengue. A ação de qualquer uma no organismo é horrível, mas as duas juntas nos tornam um farrapo humano. Fiquem com Deus, cuidem-se bem e torçam por mim!", alerta o ex-senador, também pelo Facebook.

 
 

Felpuda


Embora embalada por vários “ex”, pré-candidatura a prefeito de esforçada figura não deslancha. É claro que ninguém ousa falar em voz alta que o apoio, em vez de alavancar os índices com o eleitorado, está é puxando para baixo. Uns dizem que o título do filme “Eu Sei O Que Vocês Fizeram no Verão Passado” retrata bem a situação. Outros complementam: “... na primavera, no outono, no inverno...”. Como diria vovó: “Aqui você planta, aqui você colhe!”.