Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

EPIDEMIA

Dengue mata mais três e, em quatro meses, mortes superam todo o ano passado

Estado enfrenta epidemia e população deve ficar atenta para eliminar focos do mosquito transmissor
06/05/2020 17:29 - Glaucea Vaccari


 

Em uma semana, a dengue matou mais três pessoas em Mato Grosso do Sul, aumentando o número de vítimas da doença para 31 neste ano. Desta forma, em quatro meses, óbitos por dengue no Estado já superam o total de todo o ano passado, quando morreram 29.

De acordo com boletim epidemiológico divulgado hoje pela Secretaria Estadual de Saúde (SES), Costa Rica registrou a primeira morte por dengue no ano, enquanto Navaraí e Caarapó confirmaram terceira e segunda mortes, respectivamente.  

Em Costa Rica, vítima é um homem de 72 anos, que tinha como comorbidade doenças hematológicas e autoimune. Em Naviraí, a dengue vitimou uma mulher de 83 anos, que sofria de hipertensão e doença cardíaca e, em Caarapó, vítima é mulher de 77 anos que sofria de diabetes, hepatopatias, doença renal crônica e hipertensão.  

Campo Grande concentra maioria de mortes pela doença no ano, com cinco óbitos, seguida por Corumbá, que soma quatro vítimas e Naviraí, que agora tem três. Chapadão do Sul e Mundo Novo têm dois pacientes que morreram pela doença, cada.    

Dengue também matou moradores de Sete Quedas, Cassilândia, Pedro Gomes, Nova Andradina, São Gabriel do Oeste, Bodoquena, Dourados, Aquidauana, Sidrolândia, Paranaíba, Itaquiraí e Laguna Carapã.  

Na semana, também foram notificados 1.859 casos suspeitos de dengue em Mato Grosso do Sul, somando 54.191 notificações no ano. Deste total, 23.796 foram confirmados. Todos os 79 municípios do Estado têm alta incidência de dengue, com  com mais de 300 casos para cada 100 mil habitantes.  

O Estado enfrenta uma epidemia e o Ministério da Saúde classificou, em abril, Mato Grosso do Sul como estado prioritário para a dengue, colocando-o em situação de atenção.  Por conta disso, , orientação é para que população não deixe de lado os cuidados para evitar a proliferação do Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya.

Em todo o ano passado, foram notificados 70.651 casos suspeitos de dengue no Estado, com 29 mortes em decorrência da doença. Na Capital, foram 39.417 casos notificados, sendo 19.647 confirmados e oito óbitos

 

Felpuda


Apressadas que só, figurinhas tentaram se “apoderar” do protagonismo de decisão administrativa. Não ficaram sequer vermelhas quando se assanharam todas para dizer que tinham sido responsáveis pela assinatura de documento que, aliás, era uma medida estabelecida desde 2019. Quem viu o agito da dupla não pode deixar de se lembrar daquele pássaro da espécie Molothrus bonarienses, mais conhecido como chupim, mesmo. Afe!