Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

COVID-19

Depois da PM, toque de recolher tem reforço do Ministério Público

Equipes com promotores irão acompanhar as fiscalizações até o próximo domingo
20/07/2020 15:38 - Daiany Albuquerque


Os fiscais do Ministério Público de Mato Grosso do Sul (MPMS) também participarão das operações em cumprimento ao decreto municipal que instituiu o toque de recolher às 20h. O acordo foi feito na tarde desta segunda-feira (20), entre o prefeito de Campo Grande, Marcos Trad (PSD), o governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB), e o procurador-geral de Justiça do órgão, Alexandre Magno de Lacerda. Na reunião também ficou selado o apoio da Polícia Militar nas ações.

De acordo com Trad, o órgão apoiará as ações até o próximo domingo, com o apoio de fiscais e também de promotores. “ Quero fazer um agradecimento ao Ministério Público, muito obrigado ao procurador-geral Alexandre Magno, muito obrigado de coração e a toda a sua equipe. Hoje, equipes do Ministério Público com promotores também estarão acompanhando as nossas fiscalizações”, disse.

“Em face aos números crescentes do coronavírus e com o dever de proteger a sociedade sul-mato-grossense, tivemos a iniciativa de criar essa força-tarefa para fiscalizar o cumprimento do último decreto municipal. Nosso objetivo é evitar a contaminação em massa e a superlotação das UTIs (Unidades de Terapia Intensiva). Queremos evitar que as pessoas morram sem qualquer tipo de atendimento médico”, declarou Alexandre Magno.

Na semana passada o jornal Correio do Estado já havia antecipado a presença da Polícia Militar nas fiscalizações do toque de recolher. A prefeitura pretende montar uma força-tarefa, envolvendo o maior número de secretarias possível e seus servidores para que as operações de cumprimento do decreto alcancem o maior número de locais visitados.

“É importante nesse momento que todos se esforcem para o cumprimento dos decretos. Só assim vamos desafogar os hospitais. Nossa preocupação é com o atendimento digno de saúde para todas as pessoas”, comentou o governador por meio de sua assessoria.

Desde sábado (18) entrou em vigor medidas mais restritivas decretadas pela prefeitura, como a redução de horário do comércio, que pode abrir ao público das 9h às 17h e o fechamento de várias atividades aos fins de semana, sendo possível a abertura apenas de locais considerados essenciais.

Segundo o prefeito, Campo Grande continua entre as capitais com os piores índices de isolamento social e afirmou que espera que a população ajude para essa taxa reduzir. “Campo Grande ainda está entre as piores capitais em índices de isolamento, por isso peço por favor, 20h cumpra o isolamento e retorne para a sua casa. É uma maneira de reduzir a circulação das pessoas e principalmente, reduzir acidentes com politraumatizados”.

No fim de semana, contabilizando sexta-feira, sábado e domingo, Trad afirma que a prefeitura recebeu 1.053 denúncias de desobediência ao toque de recolher e 747 comércios foram flagrados violando a medida.

A Capital tem hoje 6.216 casos confirmados da Covid-19 e 66 mortes pela doença.

 
 

Felpuda


Ex-cabecinha coroada anda dizendo por aí ser o responsável por vários projetos para Campo Grande, executados posteriormente por sucessor. 

Ao fim de seus comentários, faz alerta para que o eleitor analise atentamente de como surgiram tais obras e arremata afirmando que não foi “como pó mágico de alguma boa fada madrinha. 

Houve muito suor nos corredores de Brasília”. Então, tá!...