Cidades

EMPREGO

Depois de fechar três lojas, Walmart se compromete a manter funcionários

Empresa afirmou que todos serão absorvidos por outras unidades

FOLHAPRESS

30/12/2015 - 16h27
Continue lendo...

Terceiro maior grupo supermercadista do país, o Walmart se comprometeu a não demitir nenhum funcionário das 30 unidades que pretende fechar até a primeira quinzena de janeiro. A informação é do presidente da UTG (União Geral dos Trabalhadores), Ricardo Patah, que se reuniu na manhã desta terça-feira com o presidente do Walmart no Brasil, Guilherme Loureiro, para tratar da situação dos empregados.

Segundo Patah, o Walmart desativará um total de 30 lojas no Brasil. O sindicalista estima que essas unidades têm cerca de 1.000 funcionários. "O compromisso da rede conosco é de que nenhum funcionário será demitido por conta do fechamento de lojas", afirma.

"Esses funcionários serão absorvidos por outras unidades do Walmart. Os que não concordarem com a transferência serão demitidos, mas receberão curso de capacitação para conseguir outro emprego", diz Patah.

Algumas destas unidades já foram fechadas. Em Campo Grande (MS), duas lojas da Maxxi Atacado funcionaram até ontem, e houve tumulto por causa da queima de estoque. Em Porto Alegre (RS), cinco unidades do supermercado Nacional devem encerrar as atividades nesta quarta-feira. No Paraná, devem ser atingidas lojas em Ponta Grossa, Londrina e Toledo. Em São Paulo, segundo Patah, serão fechadas duas lojas, mas ele disse não saber quais.

Por meio de nota, o Walmart confirmou que não fará demissões, mas não detalhou quais lojas serão fechadas nem informou quantos empregados estão envolvidos na operação. Segundo o comunicado, "por conta do atual ambiente econômico no Brasil, a empresa tomou a decisão de fechar algumas unidades com baixo desempenho".

"Essas unidades representam apenas 5% do negócio. Estamos oferecendo a possibilidade de transferência para todos os funcionários que têm interesse em continuar trabalhando em outras lojas e, quando não houver interesse, oferecemos apoio para recolocação profissional", diz o Walmart.

A nota destaca ainda que "presente no país desde 1995 com cerca de 500 lojas, a empresa mantém compromisso com o mercado brasileiro, a fim de servir melhor seus clientes e garantir a sustentabilidade do negócio no longo prazo".

"Em 2015, investimos R$ 1,3 bilhão na abertura de novas lojas, reforma de unidades antigas e integração de sistemas no Brasil", acrescenta o Walmart. Neste ano, a rede abriu quatro unidades no Nordeste.

INTEGRAÇÃO

O Walmart não comentou sobre possíveis problemas de integração entre a sua rede e as bandeiras adquiridas no país, que estariam relacionados ao baixo desempenho de algumas unidades.

De acordo com Patah, porém, o encerramento das atividades de algumas lojas tem mais a ver com a gestão do que com a crise econômica em si. "A crise potencializa a situação, mas a questão está mais relacionada à falta de sinergias entre as bandeiras, o que o Walmart pretende resolver até meados do ano que vem", diz.

Desde 2013, quando fechou 25 lojas no país, o Walmart passa por uma reestruturação da operação brasileira. O enxugamento de unidades no país também faz parte de uma reestruturação global da rede, proposta em outubro por seu presidente mundial, Doug McMillon.

No Brasil, incluindo as unidades que estão sendo fechadas, o Walmart tem 544 supermercados, 200 farmácias, 50 restaurantes e 10 postos de gasolina em 18 Estados e no Distrito Federal, além do comércio eletrônico. O grupo trabalha também com as bandeiras Big, Bompreço, Mercadorama, Todo Dia, Maxxi Atacado e Sam's Club. O faturamento somou R$ 29,6 bilhões em 2014.

De acordo com a Abras (Associação Brasileira de Supermercados), descontada a inflação, as vendas nos supermercados recuaram 1,6% de janeiro a novembro em relação ao mesmo período de 2014.

SAÚDE PÚBLICA

No ritmo atual, fila para cirurgia bariátrica só acaba em 25 anos

Estado tem 837 pacientes à espera da cirurgia e a média de procedimentos é de apenas 33 intervenções anuais no serviço público de saúde MS

20/06/2024 10h30

Mais de 750 pessoas aguardam na fila de espera por consultas e exames

Mais de 750 pessoas aguardam na fila de espera por consultas e exames Foto: Arquivo / Correio do Estado

Continue Lendo...

Segundo dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES), Mato Grosso do Sul enfrenta uma longa fila de espera para a realização de cirurgias bariátricas. Atualmente, 837 pacientes aguardam pelo procedimento e, com apenas 101 cirurgias realizadas entre 2019 e 2022, o ritmo atual indica que a fila de espera só acabará em 25 anos. 

Atualmente, a fila de espera para a cirurgia bariátrica conta com 60 pacientes prontos para a realização do procedimento, enquanto outros 777 aguardam uma consulta para poderem realizar exames e serem encaminhados para a intervenção cirúrgica.

O procedimento é vital para pessoas com obesidade severa, pois pode melhorar significativamente a qualidade de vida e reduzir o risco de doenças associadas. No entanto, nem todos os pacientes conseguem aguardar tanto tempo para a realização da cirurgia: com cerca de 2,7 mil casos de morte em decorrência de doenças diretamente ligadas à obesidade por ano, o Estado lidera o ranking nacional das mortes por obesidade no país. 

No último ano, de acordo com dados do Sisvan (Sistema de Vigilância Alimentar Nutricional), foi constatado que cerca de 70% da população sul-mato-grossense está com algum grau de excesso de peso. E, além disso, em todo o estado, cerca de 24% dos adultos apresentam diagnóstico de obesidade.

Saúde Pública

No ano passado, o Programa Nacional de Redução das Filas de Cirurgias Eletivas destinou R$ 600 milhões para reduzir as filas de espera em todo o Brasil. Mato Grosso do Sul foi um dos estados que recebeu recursos significativos, para eliminar 100% da fila de espera para cirurgias bariátricas e outras cirurgias prioritárias. 

Mesmo assim, o Governo Estadual ainda tem tentado controlar os grandes índices de obesidade no Estado. Nesta semana, o governo foi responsável por lançar uma iniciativa para reorganizar e melhorar a rede de atendimento aos pacientes com sobrepeso e obesidade, programa intitulado Linha de Cuidado do Sobrepeso e Obesidade (LCSO). 

A LSCO, conforme explicou Anderson Holsbach, gerente de Atenção à Saúde das Pessoas com Sobrepeso e Obesidade da Coordenadoria das Doenças Crônicas da SES,  “é um documento que descreve o itinerário da pessoa com obesidade dentro da APS até a Atenção Hospitalar” para tentar melhorar o fluxo de organização dentro da rede saúde. 

Segundo o Ministério da Saúde, a iniciativa deve viabilizar a comunicação entre as equipes, serviços e usuários de uma Rede de Atenção à Saúde, criando padronização de ações e organizando um fluxo contínuo assistencial.

Obesidade 

A obesidade é um fator de risco para diversas doenças crônicas, incluindo diabete tipo 2, hipertensão, e problemas cardiovasculares. Quando medidas convencionais como dieta, exercícios físicos e medicamentos não são suficientes para reduzir o peso e melhorar a saúde geral, a cirurgia bariátrica pode ser indicada. Este procedimento é considerado uma das soluções mais eficazes para perda de peso significativa e duradoura em pessoas com obesidade grave.

Segundo diretrizes do Ministério da Saúde, a cirurgia é recomendada para indivíduos com índice de massa corporal (IMC) acima de 40, ou acima de 35 com comorbidades associadas, como diabete ou apneia do sono. A decisão pela cirurgia deve ser tomada após uma avaliação médica completa e deve incluir suporte psicológico e nutricional.    

Assine o Correio do Estado

Cidades

Criança de 2 anos é resgatada pela PRF andando sozinha às margens da BR-060

Pai procurava pelo filho nos arredores da fazenda da família; criança foi entregue em segurança

20/06/2024 10h15

Bruno Henrique/Arquivo Correio do Estado

Continue Lendo...

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) resgatou uma criança de 2 anos que andava sozinha na BR-060, em Sidrolândia, município 70 km distante de Campo Grande.

Segundo a PRF, um homem se apresentou na Unidade Operacional relatando ter visto a criança sozinha, caminhando às margens da rodovia. Os agentes saíram então em busca da criança, que foi prontamente resgatada.

Todos os cuidados foram tomados, e o Conselho Tutelar e a Polícia Civil de Sidrolândia informados.

A equipe decidiu retornar então ao local onde a criança foi encontrada, levando-a na viatura. Durante a ronda na região, em uma estrada vicinal, um homem avistou a viatura e foi correndo ao encontro dela para informar os policiais sobre o desaparecimento do filho.

"Ao descobrir que a criança estava na viatura, o pai ficou emocionado e abraçou o filho", diz nota da PRF.

Os policiais acompanharam o homem, com o filho, até a fazenda onde ele morava com a esposa. No local, uma equipe do Corpo de Bombeiros aguardava. Mãe e filho foram encaminhados para a realização de exames.

Assine o Correio do Estado.

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).