Clique aqui e veja as últimas notícias!

MEIO AMBIENTE

Desmatamento ilegal gerou multa de R$ 2,4 milhões em Mato Grosso do Sul

Tecnologia utilizada pelo governo pega imagens feitas por satélite com nitidez e compara com anteriores para identificar alteração
08/09/2020 10:00 - Da Redação


O Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul) já identificou, apenas este ano, o desmatamento ilegal de 2.214,31 hectares em várias regiões do Estado, o que resultou em autuações no valor de R$ 2.408.300. 

Isso foi possível por intermédio de tecnologia utilizada pelo governo que compara imagens de satélite atual com de período anterior.

De acordo com o governo, a tecnologia tem sido a mais importante aliada dos fiscais do Imasul no controle e combate ao desmatamento ilegal. 

As imagens são feitas por satélite e aproximam o ambiente a uma distância de meio metro, permitindo que se compare a cobertura vegetal de uma área com registros anteriores.  

Quando há alteração e não há autorização ambiental para supressão vegetal, os fiscais vão ao local e o proprietário pode ser multado e ainda ter de replantar a área desmatada, caso pertença à reserva legal ou Área de Proteção Permanente (APP).

“Esse trabalho de fiscalizar e autuar é feito em convênio com a [Polícia Militar Ambiental] PMA, que está presente em todo Estado e tem uma importância fundamental como aliada no combate aos crimes ambientais”, disse o titular da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck. O Imasul é vinculado à pasta.

O marco zero da cobertura vegetal do Estado é 2017, quando foi adquirido o banco de imagens com alta resolução. 

Antes, já se utilizavam fotos de satélite para fazer o comparativo das áreas com os mapas apresentados pelo proprietário nos processos de licenciamento ou quando chegavam denúncias de desmatamento. Porém, a resolução era baixa a 30 metros.