Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CAMPO GRANDE

Desrespeitado por muitos, toque de recolher será novamente prorrogado

Circulação de pessoas e abertura de comércio continuam proibidas das 0h às 5h
27/05/2020 16:33 - Glaucea Vaccari


Toque de recolher, que tem validade até o sábado (31), será novamente prorrogado em Campo Grande, segundo informou hoje o prefeito Marcos Trad (PSD), durante transmissão ao vivo no Facebook.

Conforme o prefeito, e proibição de circulação de pessoas nas ruas e obrigatoriedade de fechamento de restaurantes continuará valendo das 0h às 5h.

“O toque de recolher termina dia 31 de maio mas a prefeitura vai prorrogar. Caso ocorra crescimento de casos [da Covid-19], vamos criar regras mais severas”, disse Trad, sem especificar quais seriam as regras.  

O toque de recolher foi implantado em Campo Grande desde o dia 21 de março deste ano, para evitar aglomerações por conta da pandemia do novo coronavírus. No início, a determinação valia a partir das 22h, mas a pedido de proprietários de bares, lanchonetes e restaurantes, mudança de horário, para a meia-noite, começou a valer em 29 de abril.

Cumprimento da regra é fiscalizado pela Guarda Civil Metropolitana (GCM), que orienta a população a retornar para sua residência e, no caso de estabelecimentos abertos além do horário, responsáveis são orientados a fechar a porta. Caso haja resistência dos comerciantes ou  população, eles podem ser conduzidos para a delegacia.

Levantamento realizado pelo Correio do Estado junto a Guarda Municipal no último fim de semana aponta que 42 estabelecimentos comerciais, com predomínio em bares e conveniências, desrespeitaram decreto municipal e foram orientados a fecharem.  

Maior fluxo de pessoas nas ruas e nos comércios durante o horário estipulado continua sendo entre sexta-feira e domingo.

 
 

Felpuda


Como era de se esperar, as pesquisas mexeram nos ânimos de candidatos, principalmente daqueles que apareceram com índices pífios.

E assim, muitos deles certamente darão novo rumo às suas campanhas eleitorais.

A maioria, é claro, tenta mostrar otimismo, e o que mais se ouve por aí é que “agora o momento será de virada”.

Como disse atento e irônico observador: “Tem gente por aí que poderá virar, sim. Mas virar gozação!”. Ui...