Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PROTEÇÃO

Detentos costuram máscaras para lar de idosos

Mais de 1,2 mil máscaras produzidas por detentos já foram doadas a instituições sociais
10/05/2020 10:15 - Naiane Mesquita


Detentos dos presídios de Mato Grosso do Sul confeccionaram, até o momento, mais de 1,2 mil máscaras para doação a instituições sociais. Homens e mulheres que estão cumprindo pena no Estado tiveram a oportunidade de auxiliar no combate a disseminação do vírus produzindo o material de proteção em tecido e TNT. Além das máscaras, no local também foram produzidos uniformes como capotes, gorros, propés, calças privativos e aventais, que foram doadas ao Hospital Regional e a Secretaria Estadual de Saúde. 

A iniciativa foi possível devido à parceria Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) com órgãos públicos e empresas parcerias, que doaram insumos. Estão em funcionamento, 21 polos de produção em unidades penais da capital e do interior, possibilitando o atendimento a prefeituras de diferentes municípios, Secretaria Estadual de Saúde, secretarias municipais de saúde, hospitais públicos e privados, órgãos públicos e a própria demanda do sistema penitenciário estadual.

A Sirpha (Sociedade de Integração e Reabilitação da Pessoa Humana) – Lar do Idoso, no bairro Nova Lima, foi uma das instituições contempladas. Ao todo, foram entregues 200 máscaras para auxiliar os profissionais do local durante o atendimento oferecido aos 84 idosos. Segundo a assistente social do asilo, Suzana Saucedo, é muito grande o volume necessário de máscaras para cuidar dos idosos, então essa doação vai contribuir muito para os funcionários do asilo, assim como, de alguns idosos que são conscientes e conseguem manter a máscara no rosto. 

Outros espaços que receberam as doações foram o Cotolengo Sul-mato-grossense, com 175 doações, a Maternidade Cândido Mariano, na capital, com 380 máscaras de proteção para auxiliar os profissionais de saúde durante os atendimentos realizados com pacientes de todo o estado. Já na Casa da Mulher Brasileira foram distribuídas 350 peças, como parte das ações sociais de auxílio à prevenção da Covid-19. No local, atuam cerca de 250 profissionais e atendem a uma média de 100 pessoas todos os dias.

Cuidado

A produção dentro das unidades penais tem a supervisão da equipe do infectologista Júlio Croda, Mariana Croda e enfermeiro e doutor em Doenças Infecciosas e Parasitárias, Everton Ferreira Lemos, garantindo a eficácia do produto. Todos os reeducandos que atuam nas oficinas de produção dos EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) recebem remição de um dia na pena a cada três trabalhados, conforme previsto na Lei de Execução Penal.

 

Felpuda


Comentários maldosos nos meios políticos dão conta que duas figurinhas que se rebelaram contra os próprios colegas poderão ficar no sereno político e, de forma indireta, serem personagens das próprias manifestações.

Um deles defendeu a redução do número de vereadores, e o outro disse ter vergonha de exercer o cargo. Agora enfrentam altos e baixos na campanha eleitoral.